sexta-feira, 4 de novembro de 2005

Biscoitos: que futuro? I

A 15 de Setembro, em artigo intitulado "As curraletas biscoitenses", indicamos que abordaríamos especificamente a temática da protecção da paisagem vitivinícola dos Biscoitos. Nesse sentido, começamos por repetir um extracto da nota sobre o colóquio “Biscoitos: Panorama Actual e Perspectivas para o Futuro”, apresentado por Sandra Nunes, na recente XIV Festa da Vinha e do Vinho, (de acordo com artigo do Diário Insular - 7/Setembro/2005): "O aproveitamento turístico da vinha dos Biscoitos pode ser a solução para a zona, onde as curraletas estão a desaparecer e a produção a diminuir." A finalista do curso de Arquitectura Paisagística, no Instituto Superior de Agronomia, apresentou a opinião de que a pressão imobiliária é a principal causa da destruição das curraletas dos Biscoitos, além do facto da paisagem não ser protegida por legislação eficaz. As soluções passariam pela consideração da zona como paisagem de interesse regional (de forma a proteger a vinha, o vinho verdelho e evitar a especulação imobiliária) e pelo aproveitamento turístico.
Ora, estas soluções (classificação e promoção) têm sido sugeridas e defendidas ao longo dos últimos anos, por diversas pessoas e instituições. Inclusivamente nós tivemos oportunidade de nos referirmos publicamente a este assunto, no ido ano de 1996 (concretamente a 6 de Setembro), por ocasião da edição desse ano da Festa do Vinha e do Vinho. Visto que mantemos actualmente o que na altura afirmamos, publicamos aqui o texto em questão (dada a sua dimensão, hoje apresentamos apenas a primeira parte do mesmo, completando-o ao longo de próximos dias).

Biscoitos: que futuro?

Antes de me iniciar naquela que é a principal mensagem que vos pretendo transmitir nesta minha intervenção, vou proceder a um esclarecimento que julgo necessário.
Assim, tendo sido convidado para aqui vos falar, faço-o em meu nome e em nome de um grupo de jovens biscoitenses, de ambos os sexos, movidos por uma preocupação: o futuro da sua terra.
Represento, assim, uma significativa parcela da juventude biscoitense, que se mostra atenta àquilo que a rodeia, nomeadamente ao que se relaciona com a sua freguesia e com os condicionantes que se mostram como potenciais orientadores do seu e, por tal, nosso futuro.
Penso que a mais forte razão para a existência desta consciência será o facto de nos preocuparmos com aquilo que o nosso meio nos poderá, ou não, oferecer no futuro.
Esta tendência apelidável de egoísta deixa de o ser quando se constata que alargamos as nossas preocupações para além do que materialmente pertence a cada uma das nossas famílias e pensamos na totalidade da freguesia, deixando sobressair o desejo de partilhar o que temos com aqueles que nos visitam, especialmente durante a época de veraneio.
Pelo dito, é facilmente perceptível que o que almejamos é o desenvolvimento sustentável da nossa terra natal, ou seja, um aumento progressivo do nível de bem estar geral de todos nós.
Daqui se concluiu que, tal como o senhor arqto. paisagista e eng.º silvicultor Fernando Pessoa nos alertou à um ano, neste mesmo lugar, existe um "abismo de diferença entre Desenvolvimento e Crescimento".
Sendo uma realidade qualitativa, o desenvolvimento ultrapassa largamente o crescimento económico na medida em que alberga condições como o equilíbrio ambiental, pela gestão dos seus recursos, e políticas adequadas de produção e serviços, e de ordenamento do território.
Outra condição necessária para que uma população esteja realmente com um bom índice de bem estar geral é o respeito pelos seus valores, pelas suas tradições, pela sua história e pela sua cultura, ou seja, pela sua identidade.
Não significa isto que o crescimento seja um mal. Antes pelo contrário. Apenas não pode ser tomado como o objectivo primordial, ou mesmo único, devendo ser sim um meio que, respeitando o quadro da ética e da moral, permita um progresso de que todos possam beneficiar, não acentuando, e até diminuindo, os desiquilíbrios sociais e económicos.
Para que seja possível o desenvolvimento há que existir uma base que se traduz em informação, educação e formação, visando o conhecimento de quais as reais metas a atingir e pugnando para que se sigam os meios reais possibilitadores de as concretizar.
(continua brevemente)

36 comentários:

Anónimo,  5/11/05 17:09  

È bom recordar!
Compilação da imprensa


" A vinha perde-se e a população nada ganha.
PROJECTO PARA OS BISCOITOS BENEFICIA APENAS A ESPECULAÇÂO .

Por este meio os Biscoitos terão a mesma sorte do Porto Martins e transformar-se-ão em mais uma descaracterizada estância de veraneio, vazia e triste durante o inverno e ruidosa e desordenada durante o verão.
A tipicidade das vinhas e beleza da paisagem que hoje se avista do Biscoito Bravo serão perdidas para sempre. Tal futuro não beneficiará em nada os biscoitenses nem quem os visita: a miragem do chamado desenvolvimento da Freguesia que alguns tantos apregoam vai traduzir-se apenas em perda irreparável, pois nem sequer serão os habitantes daquela freguesia quem vai poder construir casas nas novas Ruas a abrir."(...)

In DIÁRIO INSULAR, 11.12.1994
*J.G.Meneses

NOTA IMPORTANTE:
J.G.Meneses = Professor Doutor José Gabriel do Àlamo de Meneses, Ilustre Secretário Regional da Educação e Cultura, tb da Segurança Social do Governo Regional dos Açores, (após a era Mota Amaral) até hoje.


(continua brevemente)

Anónimo,  5/11/05 21:27  

Em política, o que num tempo é virtude, n'outro tempo é crime, assim como o que num tempo é crime, n'outro é virtude.

Anónimo,  6/11/05 10:45  

(continuação)

È bom recordar!
Compilação da imprensa

"URBANIZAÇÃO DOS BISCOITOS DESAGRADA MUITA GENTE.

Um abaixo - assinado contra a urbanização da zona de produção do vinho de Verdelho dos Biscoitos na ilha Terceira, foi subscrito por várias personalidades, no passado domingo...
O documento, que será entregue ao Ministro da República da Região Autónoma dos Açores, Mário Pinto, ao Presidente do Governo dos Açores Mota Amaral, Secretários Regionais de Turismo e Ambiente e da Agricultura, Eugénio Leal e Adolfo Lima, e ao Presidente da Câmara da Praia da Vitória, José Fernando Gomes destina-se, de acordo com Jácome de Bruges(CVVB), um dos subscritores, contestar a implementação, naquela zona, de um bairro de férias, o qual foi planeado pela Câmara Municipal da Praia da Vitória(CMPV).
Este abaixo-assinado propõe que seja levada ao conhecimento dos serviços competentes uma proposta de classificação como área de paisagem protegida regional...
O Vice-Presidente da Câmara Municipal de Angra do Heroísmo, Rui Andrade, o Presidente da Federação Agricola dos Açores, Paulo Ferreira, o Presidente da Câmara do Comércio de Angra do Heroísmo, Carlos Santos e alguns escritores, poetas, artistas plásticos, médicos,e arquitectos subscreveram também o abaixo-assinado, de entre outras pessoas, com o intuito de evitar que a zona do vinho de Verdelho dos Biscoitos não sofra..."

In "A União" 05.09.1995

Anónimo,  6/11/05 13:52  

È bom lembrar

Compilação da imprensa
(continuação)


"ORDENAMENTO DO TERRITÓRIO E CONSERVAÇÃO DA NATUREZA - O CASO PARTICULAR DOS BISCOITOS


Não é pelo facto de haver uma paisagem semelhante, e até espetacular na ilha do Pico, cujo interesse não está em causa, que se deve deixar perder a dos Biscoitos na ilha Terceira, até porque são diferentes.
Impõe-se, por isso, a classificação da zona referida pelo menos como Àrea de Paisagem Protegida, através de um estudo cuidado que garanta ainda uma faixa de protecção envolvente, para que qualquer intervenção não venha situar-se imediatamente no linite da área de qualidade.
Com uma classificação de nível regional a Região Autónoma dos Açores assegura a continuidade dessa paisagem histórica, possibilitando que medidas agroambientais e outras ligadas quer ao apoio directo à vitivinicultura quer á conservação do património construído, possam ser aplicadas, com benefício colectivo para toda a sociedade terceirense.
Já lá estão enormes casas e feias, e a meu ver em situação irregular, pois não têm acesso de viatura até à porta, impedindo que em caso de urgência se aproxime um carro de bombeiros ou ambulância, o que é contra as normas urbanísticas - e casas que destruíram já considerável de área de vinha e de curraletas.
A abertura de estradas é o primeiro passo para a destruição da unidade da paisagem como do conjunto construído desde o século XVI.
(...)Para terminar quero referir o papel desempenhado pela Confraria do Vinho Verdelho dos Biscoitos na defesa deste produto e desta paisagem histórica, congregando para eles as atenções das Autoridades e do público."
* Fernando Pessoa

Arq.to Paisagista e Eng.º Silvicultor

In "A União" 03.09.1995

Anónimo,  6/11/05 14:02  

È bom lembrar

Compilação da imprensa
(continuação)

" No colóquio, integrado na 3.ª Festa da Vinha e do Vinho dos Biscoitos, os participantes defenderam a recuperação e preservação das curraletas existentes na freguesia, alegando que a estrutura daquelas unidades de cultivo da vinha deve ser mantida e que o local não deve ser "destruído" através da implementação de casas de veraneio"

In "A União"03.09.1994

Anónimo,  6/11/05 14:14  

È bom lembrar

Compilação da imprensa
(continuação)

" MEMÓRIAS - O ESTADO DO NOSSO PATRIMÓNIO

O vinho Verdelho cultivado na ilha Terceira, na freguesia dos Biscoitos, está ameaçado por um projecto de urbanização.


O projecto é contestado pelo Museu do Vinho da Casa Agrícola Brum Lda. e pela Confraria do Vinho Verdelho dos Biscoitos que o consideram prejudicial ao cultivo da vinha e à preservação da paisagem. As duas entidades defendem como soluções para o diferendo o aproveitamento de terrenos sem utilização vitícola, como os que existem a cerca de um Km ou a recuperação de casas antigas e abandonadas. Mas esta não parece ser a intenção da Câmara, que continua a manter lotes à venda, revelando assim que não desistiu do projecto - embora o conserve há cinco anos em banho-maria."

* Rita Taborda

In Revista "Volta ao Mundo" n.º15-Jan.1996

Anónimo,  6/11/05 15:06  

È bom lembrar

Compilação da imprensa

"1.ª Coluna
VINHO VERDELHO


O vinho Verdelho dos Biscoitos chegará rápidamente à extinção se não for travado o processo de transformação em áreas urbanizadas a que estão votadas as vinhas que, de dia para dia, são alvo dos "apetites" dos terceirenses em férias.
O caso é simples: quem tem vinhas, cada vez tem mais dificuldade em mantê-las, porque a sua exploração, tradicionalmente em "curraletas", é exclusivamente feita à custa de mão de obra que não abunda e é dispendiosa.
Dá-se a coincidência de os Biscoitos, local priviligiado para o cultivo de vinha e outras frutas serem, por natureza, zona de veraneio, abençoados que são de belezas naturais e de um microclima por excelência: seco e soalheiro.
Quando ao vinhateiro lhe entra pela porta um engravatado da cidade a oferecer milhares de contos por um pedaço de vinha, o desenlace só poderá ser um. È que , nos tempos que correm, qualquer burguês endinheirado ou novo rico da cidade,que se preze, tem por sonho adquirir naquela zona um pedaço de terra, no meio de uma vinha,para construir o que começa por ser uma adega modesta e acaba em vivenda de preferência maior e mais espampante que a do vizinho.È próprio da natureza humana o pecado da ostentação.
Se no meio disto faltarem as regras, umas ditadas pelo governo, outras pela autarquia, somando às ajudas existentes para a restruturação da vinha e melhoria do vinho, o incentivo à sua manutenção e outras, através de planos de salvaguarda, não autorizando urbanizações sem sentido, mais cedo ou mais tarde é certinho que as vinhas de Verdelho acabarão por desaparecer"

In "DIÁRIO INSULAR", 07.09.1995

Anónimo,  6/11/05 17:54  

È bom lembrar

Compilação da imprensa

"BISCOITOS: QUE FUTURO?"

* José Aurélio Almeida

In "A União" 11.09.1996
"Diário Insular" 14 -15.09.1996
"Mensageiro Jovem dos Biscoitos" 1996


(continua)

Anónimo,  6/11/05 20:24  

È BOM LEMBRAR

(Compilação da imprensa)

"BISCOITOS ; O PROGRESSO IRREVERSÍVEL

(...) Outro aspecto preocupante, que não podia deixar de salientar, é o do "atroplamento" das vinhas pelo asfalto das"novas acessibilidades" a urbanização existentes e a outras que, esperamos o bom senso ainda prevaleça, não venham a ser aprovadas. Estes atropelos, que podiam ser evitados por estudos mais cuidadosos, dado a existência de outros locais não cultivados(questões políticas),significam de forma inequívoca, a impunidade das autoridades locais na defesa de interesses privados face a um pretenso adormecimento das populações. Esta situação é tanto mais grave quanto hoje se fala na defesa e preservação das vinhas e suas curraletas.
Ainda que não se possa fazer acusação concreta, sabemos que estas decisões são da responsabilidade das entidades (in)competentes nesta matéria - Junta de Freguesia e Câmara Municipal, encarregues de assumir tais encargos junto desta localidade. Temos a certeza, porém, que elas acarretarão consequências desastrosas na defesa de valores e tradições desta comunidade, ficando assim por descobrir o que irá acontecer aos biscoitenses e à sua freguesia."

*Steven Bettencourt Almeida

In " DIÀRIO INSULAR" ,07.05.1998
NOTA: O autor é um jovem biscoitense.

(continua)

Anónimo,  7/11/05 09:18  

È bom lembrar

(Compilação da imprensa)

" VERDELHO DOS BISCOITOS È UM NÉCTAR REQUINTADO

(...) os bens culturais não se medem em escudos e os bens materiais , no caso dos Biscoitos traduzidos pela crescente urbanização, acabam sempre por desaparecer. Seria lastimável a perda cultural do vinho Verdelho, orgulho da Terceira e dos Açores, em detrimento dos interesses económicos da urbanização".


* Màrio Oliveira Figueiredo

In "A União 04.09.1998

(continua)

Anónimo,  7/11/05 09:27  

È bom lembrar

Compilação da imprensa

(SÓ OS TÌTULOS!)

"DESTAQUE
CONSTRUÇÃO CLANDESTINA NOS BISCOITOS"

* Virgulino Ferreira

in Jornal da Praia 15.05.1998



" BISCOITOS - AINDA A CONSTRUÇÃO CLANDESTINA"

* Virgulino Ferreira

In Jornal da Praia , 23.10.1998


"RECOMENDA PROVEDOR DE JUSTIÇA
PAISAGEM PROTEGIDA PARA AVINHA DOS BISCOITOS"

in "A UNIÃO" 22.06.1999

Anónimo,  7/11/05 09:33  

È BOM LEMBRAR

(Compilação da imprensa)

Publicidade
Presidência do Governo Regional

CONSELHO DO GOVERNO REGIONAL

Angra do Heroísmo, 22,23 e 24 de Outubro de 1997


COMUNICADO


(...)

8- Aplicar medidas de protecção à Zona de Produção de Vinho Verdelho dos Biscoitos, desencadeando de imediato um processo legislativo nesse sentido.

in "a União, terça-feira, 4 de Novembro 1997,p.8


(Continua)

Anónimo,  7/11/05 10:27  

É bom lembrar

(compilação da imprensa- Título)

"Autarca da Praia não "encaixa" críticas do provedor

ZONA DO VERDELHO PREJUDICADA POR CONTA DO GOVERNO REGIONAL"

In "DIÁRIO INSULAR DE 24.de Junho de1999

Anónimo,  7/11/05 10:31  

É bom lembrar

(compilação da imprensa- título)

"Provedor levou a boa nova aos Biscoitos

GOVERNO PROMETE APRESSAR- SE NA PROTECÇÃO DO VERDELHO

In DIÁRIO INSULAR de 30 de Junho de 1999

(continua)

Anónimo,  7/11/05 10:45  

É bom lembrar
(compilação da imprensa)

"CARTA DE RISCO GEOLÓGICO DA TERCEIRA"

(...)Os cientistas debruçaram-se também sobre as consequências previsíveis dos maremotos que possam afectar a Terceira, e colocam o Porto Martins no topo da lista negra, sobretudo porque nos últimos anos foram construídas casas na zona de alto risco.
Rodrigues da Silva pronunciou-se mesmo a favor da destruição das construções localizadas nessa zona por o perigo ser demasiado-Em qualque caso , a partir de agora, com esta carta disponível, as pessoas já sabem com o que contam- disse. Os cientistas aconselham a que as autorizações de construção na Terceira passem a ter em conta as zonas potencialmente expostas a maremotos e adiatam que além do Portpo Martins, estão em risco as costas de S. Mateus, Biscoitos, Cabo da Praia, salgueiros e Porto Judeu."

In DIÁRIO INSULAR 26 de Janeiro de 2001 (Sexta-feira)

Anónimo,  7/11/05 10:48  

È BOM LEMBRAR

(Compilação da imprensa- título)

Miguel Amorim ao "D.I."

" SE A ESPECULAÇÃO IMOBILIÁRIA NÃO PARAR O VINHO DOS BISCOITOS PODE DESAPARECER"


In DIÁRIO INSULAR 19de Abril de 2001

(continua)

Anónimo,  7/11/05 12:14  

Gostei tb de ver "Comentários da regiao demarcada de vinho dos Biscoitos":

http://acores.sapo.pt/Comentarios/284.html

Anónimo,  7/11/05 13:48  

Compilação da imprensa
(apenas o título)

Apesar de as criar


O ESTADO ESQUECE-SE POR VEZES DE CUMPRIR AS LEIS


(...)
* Entrevista pelo jornalista Aranda e Silva ao Provedor de Justiça

In Jornal da Associação Agrícola da ilha Terceira

Anónimo,  7/11/05 13:51  

È bom lembrar

(compilação da imprensa - apenas o título)


"O VERDELHO DOS BISCOITOS"

* Manuel Severino
In Revista V . n.º 18 ano II Novembro/Dezembro

Nota: Grande reportagem sobre o vinho dos Biscoitos.

Anónimo,  7/11/05 15:01  

Há muitas coisas, que não sendo prescritas pelas leis, são exigiveis pelo uso.
Muitos pela preservação das curraletas dos Biscoitose!
Aqueles que presidem aos destinos dos povos,que tratem de unir esforços pela identidade desse mesmo povo(pedras que deram o nome à localidade:Biscoitos!
Infelizmente ainda há quem divida para republicar, pois a desunião afugenta a prosperidade,e como alguém já o disse,"o campo, lavrado pelas facções, não produzem senão abrolhos".

Anónimo,  7/11/05 18:21  

È bom lembrar

(compilação da imprensa)

Património

BISCOITOS - ILHA TERCEIRA

NÃO MATEM O VERDELHO

*Aranda e Silva(texto e fotos)
(continua)
In (Revista do INATEL))
TEMPO LIVRE .n.º89. Novembro 98

Anónimo,  7/11/05 18:25  

È bom lembrar

(compilação da imprensa-título)

Zona vitivinícola

BISCOITOS A CAMINHO DE PAISAGEM PROTEGIDA

In "A União" pp1,2

Anónimo,  7/11/05 18:28  

È bom lembrar

(compilação da imprensa-título)

"COISAS DA NOSSA HISTÓRIA"

*Dr.ª Isabel Pereira da Silva

In Revista LITORAL.Publicação independente.Outubro-Dezembro 1998.anoIII.n.º11

Anónimo,  7/11/05 18:33  

È bom lembrar

(compilação da imprensa-título)

"Alerta de Victor Hugo Forjaz

PAISAGEM VULCÂNICA DEVE SER PRESERVADA"

In DIÀRIO INSULAR 11 de Fevereiro de 1999, p,5

(continua)

Anónimo,  7/11/05 18:37  

È bom lembrar

(compilação da imprensa-título)

"Paisagem em perigo
Confraria contra redução da vinha"

In "Diário Insular" 6 de Abril de 1999 .p,1 e 3

Anónimo,  7/11/05 18:41  

È bom lembrar

(compilação da imprensa-título)

Em Julho

"MENERES NOS AÇORES PARA PEDIR COLABORAÇÃO"

In " A UNIÃO" .Quinta-feira,13 de Maio 1999,Actualidade,p,4

Anónimo,  7/11/05 18:46  

È bom lembrar

(compilação da imprensa -título)

* Dr. Francisco dos Reis Maduro - Dias

"PROTEGER O VERDELHO NÃO É APENAS UMA QUESTÃO DE CURRALETAS"

In "Diário Insular"março de 2001. VELA DE ESTAI

Anónimo,  7/11/05 18:59  

Não foi criada uma Comissão de Preservação de toda a Zona dos Biscoitos?
Já há uns bons anos(vou ver se me recordo!
Actas e conclusões? Foi do conhecimento público...?
Já é altura de se saber algo!?

Anónimo,  7/11/05 19:05  

È bom lembrar

(continua)

Anónimo,  7/11/05 19:34  

Construir no meio das curraletas com infestantes ou "pittosporum Umdulatum", vulgo incenso é muito perigoso. Vejam o que têm acontecido com os fogos no continente europeu. O nosso clima já não é o que era. Já li um comentário em relação a construções isoladas.

Anónimo,  7/11/05 21:00  

È bom lembrar

(compilação da imprensa)
Ètranger

"Aux Açores deux mille hectares au milieu de l'Atlantique"

(...)
Bien situés en bord de mer, les champs de lave,donc les vignobles de biscoitos, sont convoités et dejá fortement menacés par un projet d'urbanisation."
(...)

*Pholippe Roy

In LA VIGNE- La revue du monde viticole - mensal n.º 57 - pp 80 /81 - Juillet - août 1995

Anónimo,  7/11/05 21:07  

È bom lembrar

(compilação da imprensa- título)
-com fotografia e legenda:
"A FAMA das "curraletas" chegou à Alemanha

APELO DA ALEMANHA A FAVOR DOS BISCOITOS"

Nota: Alunos de escolas!!!!!

In "Diário Insular" 9 de Junho de 1995-p,12

Anónimo,  8/11/05 13:47  

Adorei recordar e comparar as distâncias!
Ainda bem que há ainda pessoas que continuam lutando pelas raízes da nossa história , da nossa cultura e como li aí atrás pela identidade dos Biscoitos!
Estranho o comportamento "oficial" das organizações ditas ambientalistas. Estão silênciadas por desconhecimento?
Seria oportuno uma opinião ou um comentário de âmbito nacional!!!
A união faz a força!

Anónimo,  8/11/05 21:47  

E as medidas preservativas pelos vistos de nada serviram!
...as leis são elásticas e...é comparar efectivamente,o antes e o agora, com o daqui a dias!?
Mas quem fiscaliza a Zona Litoral?
Câmaras, PSP, GNR, Polícia Marítima, autarquias????????
Fico pasmada ao ver tanta passividade!
E ainda se pegam com meia dúzia de tendas de "campistas selvagens"!

José Pires Galhardo,  17/11/05 18:57  

É dever de todos nós defender a nossa cultura e o que resta da Casta da Verdelho dos Açores. Nem tudo que é branco é Verdelho! E nos Biscoitos mais de 90% é da Casta da Verdelho.
Mas nos tempos das públicas calamidades, como já li num comentário anterior, a surdez é um necessário benefício do céu...
A política viticola(e vinícola é a mesma de há 20 anos(!). Vinho sim mas numa só ilha. Falta mais qualquer coisa aos habitantes da ilha Terceira.

José Aurélio Almeida 31/12/05 12:20  

Vários foram (e continuam a ser) os contributos na defesa do património vitivinícola biscoitense. Infelizmente, e apesar da qualidade das opiniões expressas, os resultados práticos são escassos.
Interessantes também são as questões colocadas sobre a Comissão de Preservação, a posição de associações ambientalistas e as medidas preventivas.
Logo que nos seja possível abordaremos neste bloge estes assuntos de uma forma mais directa e específica.

Biscoitos, Praia da Vitória, Ilha Terceira, Açores, Portugal

  © Blogger templates The Professional Template by Ourblogtemplates.com 2008

Back to TOP