sexta-feira, 30 de dezembro de 2005

EBI com Fundo Escolar reforçado


A Escola Básica Integrada dos Biscoitos terá o seu Fundo Escolar reforçado pela atribuição de comparticipações financeiras destinadas a apoiar os encargos de utilização das instalações e equipamentos desportivos escolares.
De acordo com o publicado no Jornal Oficial (IIª Série, nº52, a 27 de Dezembro), e por portaria do Secretário Regional da Educação e Ciência, de 29 de Novembro, para já a EBI dos Biscoitos receberá uma 1.ª tranche no valor de € 3.997,00 (três mil, novecentos e noventa e sete euros).

Read more...

Apoio para agentes desportivos de Kickboxing/Full-Contact


Foi publicada no Jornal Oficial (IIª Série, nº52, a 27 de Dezembro), a atribuição de mais uma comparticipação financeira à Associação de Kickboxing/Full-Contact dos Açores (que tem a sua sede na freguesia dos Biscoitos).
A portaria do Secretário Regional da Educação e Ciência, de 25 de Novembro, atribui a verba de € 1.532,76 (mil, quinhentos e trinta e dois euros e setenta e seis cêntimos) destinada a apoiar o desenvolvimento de actividades de formação de agentes desportivos não praticantes.

Read more...

quinta-feira, 29 de dezembro de 2005

Sagração da Igreja do Imaculado Coração de Maria


A Igreja do Imaculado Coração de Maria, na freguesia dos Biscoitos, foi sagrada no passado domingo, dia 25 de Dezembro, numa missa solene presidida pelo Bispo de Angra, D. António Sousa Braga.

De acordo com o Diário Insular (6/Dezembro/2005) esta "primeira igreja de arquitectura moderna da Terceira foi inaugurada a 25 de Maio de 1965 e a primeira pedra lançada a 25 de Dezembro de 1961. (...) As obras de construção da nova igreja decorreram durante mais de quatro anos e tiveram que parar várias vezes por falta de recurso financeiros. Sem dinheiro para pagar o projecto de arquitectura a obra foi executada de acordo com esboços e desenhos efectuados por diversas pessoas. A construção do tempo deveu-se ao voluntariado de cerca de três dezenas de pessoas e à cedência de alguns materiais para além da contribuição financeira de alguns habitantes da freguesia."
Francisco Borges Ávila, pároco da freguesia na altura da construção da Igreja do Imaculado Coração de Maria, em entrevista a Hélio Vieira e publicada na Revista do Diário Insular (18/Dezembro/2005), aborda alguns aspectos sobre estes assuntos, quer em relação ao processo de construção, quer no que diz respeito à actual sagração.
Assim, sobre a ideia de construir uma nova igreja nos Biscoitos, Francisco Ávila refere que a mesma "teve em conta o facto da freguesia ter nessa altura apenas uma igreja velha, quase a cair aos bocados, que era insuficiente para as necessidades dos Biscoitos e que não estava bem localizada. É certo que os Biscoitos começaram no bairro de São Pedro pouco tempo depois do povoamento mas a freguesia foi crescendo para Norte. A Igreja de São Pedro era velha era pequena o que fez com que no passado tivesse havido sucessivas tentativas para se construir uma nova igreja nos Biscoitos sem sucesso. Essa era uma necessidade reconhecida por todas as pessoas da freguesia. O problema não era construir um novo templo mas sim decidir qual seria a sua localização." Adianta ainda que "quando cheguei aos Biscoitos, no final de 1959, havia já um terreno escolhido pelo Bispo de Angra, D. Manuel Afonso de Carvalho e vinha com a missão de promover a construção da nova igreja. Mas o que é certo que esse terreno acabou por não ser cedido para a construção da igreja e começaram então a surgir os problemas. Havia um projecto de arquitectura por pagar e não existia terreno para se fazer a obra. Só em 1961 é que surgiu um novo terreno para a igreja que foi doado pelo sr. João Simas, que tinha uma vinha junto à estrada corrente da freguesia. Mas a planta que existia para o primeiro terreno junto à Praça Velha não servia para o novo local. Não havia tempo nem dinheiro para fazer um novo projecto e com a colaboração de várias pessoas fizemos os desenhos da igreja."
Sobre as reacções negativas à construção da nova igreja de uma parte da população dos Biscoitos, o antigo pároco diz que "essa foi outra dificuldade decorrente do viver e do sentir da população dos Biscoitos. Para uma pessoa como eu que ainda não conhecia bem uma realidade marcada por ódios e divergências entre pessoas que vinha de algumas gerações foi um momento muito difícil. O ideal teria sido construir uma igreja num local que fosse do agrado de todos mas isso não foi possível como vim a perceber mais tarde." Continua Francisco Ávila desabafando que "nessa altura avivaram-se rivalidades e desconfianças e o sr. Bispo em certos momentos não foi muito feliz na condução desse processo porque se ele tivesse “aberto o jogo” as coisas podiam ter corrido melhor. Ele ouvia as comissões de um lado e do outro sem que eu estivesse presente. Fui sempre “uma carta fora do baralho”. Era o executor da sua decisão de construir uma nova igreja, mas não sabia o que o sr. Bispo prometia a uns e a outros. É claro que acabava por saber o que se passava por aquilo que se dizia na freguesia e cheguei facilmente à conclusão que o que se prometia a uns não era o mesmo que se prometia a outros."
Sobre o processo de construção, Francisco Ávila recorda que "as obras iam decorrendo mesmo com dificuldades financeiras. Mas praticamente metade da freguesia deu a sua contribuição financeira para a igreja, mas também houve gente da outra parte que deu esmolas em segredo para não ter problemas com a vizinhança. (...) Tivemos que parar a construção por três vezes por falta de dinheiro, mas isso acontece em todas obras deste género, mas os mestres e os ajudantes foram sempre pagos pontualmente. Parte dos trabalhos das obras foram efectuados por um grupo de pessoas que o fizeram de forma gratuita."
Quanto ao facto de os Biscoitos terem tido a primeira igreja moderna na Terceira, concebida de acordo com os princípios do Concílio Vaticano II é referido que "houve a preocupação de não fazer da igreja um museu com muitos altares e santos. Apenas se destinou um espaço para a imagem da padroeira, Imaculado Coração de Maria, que não é muito comum. Quando vi o desenho da escultura da imagem fiquei com receio que as pessoas pudessem ficar desapontadas. Mas depois de um primeiro choque menos favorável as pessoas habituaram-se à escultura. (...) Pode não ser uma obra perfeita, mas tem todas as condições necessárias a uma igreja como boa luz, som e amplitude e nada disso foi estudado, surgiu quase por acaso."
No que diz respeito à cerimónia que agora se regista, 40 anos após a inauguração do templo, Francisco Ávila explica que "quando foi lançada a primeira pedra da obra, em 1961, a igreja foi Dedicada ao Imaculado Coração de Maria. Quando estava apta a entrar ao serviço foi benzida em Maio de 1965, tal como acontece com todas as igrejas. O que se vai fazer agora é a Sagração. Existem nos Açores poucas igrejas que estão Sagradas."
No final da entrevista Francisco Ávila partilha que para si "ainda hoje é difícil falar desse assunto porque a construção da igreja fugiu às regras, foi muito atípica. Quando se faz uma igreja é porque ela é necessária e o povo está de acordo e empenhado nessa obra. Nos Biscoitos não foi assim. Felizmente as gerações mais recentes da freguesia souberam ultrapassar essas velhas rivalidades e desconfianças que dividiram durante décadas os Biscoitos de acordo com determinados caciques. Sempre esperei que as novas gerações fossem capazes de pensar pela sua cabeça e dar a volta a essa situação." Termina afirmando que recorda "tudo o que passei com um misto de sentimentos porque sofri bastante com as ingratidões que fui vítima dos vários lados, mas tive a alegria de ver nascer a nova igreja. Fechei os olhos e os ouvidos a muita coisa e fui para a frente com a missão que tinha para levar a cabo. Acabei por ter que me oferecer para ir para a guerra como capelão militar porque não tinha condições para continuar a ser pároco dos Biscoitos."

Read more...

Festa de Natal transmitida para emigrantes

Realizou-se no passado dia 18 de Dezembro, na Sociedade Recreativa Biscoitense, situada no Bairro de São Pedro dos Biscoitos, um festa intitulada "Natal da Saudade".
O evento, cujo programa contou com diversos agrupamentos musicais terceirenses e também com o luso-americano Alcides Machado, foi transmitido em directo para a Califórnia (Estados Unidos da América) por algumas rádios portuguesas com sede nos Estados Unidos.

Read more...

quarta-feira, 28 de dezembro de 2005

Missa do Galo

Um dos momentos mais característicos das celebrações do nascimento do Deus Menino é a Missa do Galo, tradicionalmente celebrada por volta da meia-noite, entre a véspera e o próprio dia de Natal.

Para além das celebrações eucarísticas que decorrem em cada uma das paróquias açorianas (Biscoitos naturalmente incluídos), a Igreja Mãe dos Açores, Sé de Angra do Heroísmo, é local de uma Missa do Galo, normalmente celebrada pelo Reverendíssimo Bispo de Angra, D. António de Sousa Braga. Nos últimos anos esta eucaristia natalícia diocesana têm sido precedida por um concerto de Natal, realizado na mesma Igreja de São Salvador.

Este ano de 2005 não foi excepção e ambos os momentos aconteceram, sendo transmitidos em directo pela RTP-Açores e pela RTP-Internacional.
E referimo-nos a este Concerto de Natal e a esta Missa do Galo em específico porque dois biscoitenses participaram activamente nos mesmos, integrados, como habitualmente, na Orquestra da Sé de Angra. São eles Diamantino Lucas, trompetista, e Paulo Almeida, clarinetista.
A eles os nossos parabéns por tão ilustre e mediática participação.

Read more...

terça-feira, 27 de dezembro de 2005

Breve pausa

Olá a todos!
Escrevo para partilhar uma nota, um desejo e um compromisso.
A nota é apenas para informar que o facto de não actualizarmos o blog Biscoitos desde a passada sexta-feira se ficou a dever a compromissos pessoais e familiares nossos, inerentes à quadra festiva que vivemos.
O desejo expressa-se no sentido de que esta mesma quadra natalícia esteja a desenvolver-se da melhor forma para todos, e particularmente para os biscoitenses.
O compromisso que assumimos é o de retornar pelo menos ao anterior ritmo em termos de actualização deste espaço, começando por algumas referências relacionadas com este período de breve pausa de publicação.
Boa época natalícia para todos!
E até já (é que voltamos já a seguir)!

Read more...

sexta-feira, 23 de dezembro de 2005

Indicadores de Educação - 2003/2004

Foi recentemente divulgado pela Secretaria Regional da Educação e Ciência, o documento "Indicadores da Educação - Ano Lectivo 2003/2004 - Cenários Comparativos". Este documento, criado pela Divisão de Planeamento e Estatística da Direcção Regional da Educação, apresenta dados sobre Estatísticas da Educação, Investimentos na Educação e Recursos Humanos.
Alguns dos elementos surgem com referência às várias unidades orgânicas educativas públicas existentes nos Açores, estando entre elas incluída a Escola Básica Integrada dos Biscoitos (EBI dos Biscoitos) - unidade que agrega os estabelecimentos de ensino das freguesias de Altares, Biscoitos, Quatro Ribeiras e Raminho.


ESTATÍSTICAS

Em relação ao ano escolar em apreciação - 2003/2004 - os primeiros dados que surgem no documento reportados à EBI dos Biscoitos referem-se à taxa de transição/conclusão de Ciclo de Ensino. No 1º Ciclo do Ensino Básico - 4º ano de escolaridade (pág. 8) o valor é de 100% (só igualado pela EBI Mouzinho da Silveira, no Corvo). No 2º Ciclo - 6º ano de escolaridade obtiveram-se 85,1% - 8º melhor entre 27 unidades orgânicas (pág. 17). No 3º Ciclo - 9º ano de escolaridade o valor registado é de 97,2 - o 2º melhor a nível regional (pág. 24).

Indo aos números de alunos, e no universo da EBI dos Biscoitos em 2003/2004 , no que diz respeito ao Jardim de Infância (pág. 13-14) estiveram matriculadas 30 meninas e 29 meninos, num total de 59 crianças. Já no Ensino Básico os dados surgem por ano: assim, no 1º Ciclo (pág. 13-14), estiveram matriculadas no 1º ano 24 meninas e 11 meninos; no 2º ano 18 meninas e 21 meninos; no 3º ano 20 meninas e 22 meninos; e no 4º ano 22 meninas e 24 meninos (segundo o documento, neste nível de ensino todas estas crianças progrediram, não se registando qualquer caso de retenção, desistência ou transferência). No 2º Ciclo (pág. 20-21), matricularam-se no 5º ano 31 alunas e 28 alunos (respectivamente com 90,3 e 75% de progressão) e no 6º ano 25 alunas e 42 alunos (respectivamente com 92 e 81% de progressão e conclusão de ciclo, registando-se a desistência de 1 aluno). No 3º Ciclo (pág. 27-28), estiveram matriculadas no 7º ano 21 alunas e 20 alunos (respectivamente com 61,9 e 65% de progressão); no 8º ano 15 alunas e 15 alunos (respectivamente com 93,3 e 66,7% de aproveitamento); e no 9º ano 19 alunas e 17 alunos (respectivamente com 100 e 94,1% de sucesso).

  • INVESTIMENTOS

No que concerne ao Orçamento Escolar e Plano de Investimentos para 2003 (pág. 38), foi previsto para a EBI dos Biscoitos 197 840 € oriundos do Plano e 2 700 316 € provenientes da área do Orçamento.

Tendo em atenção um universo de 515 crianças/alunos, esta orçamentação significou uma execução por criança/aluno (pág. 39) de 5 243 €, a 3ª média mais alta no global dos Açores. A média de despesa com pessoal por criança/aluno é a 4ª mais alta, registando-se em 5 059 €.

No âmbito do Plano de Investimentos (pág. 40) 165 000 € foram para obras, 23 240 € para equipamentos e 9 000 € para formação.

O Fundo Escolar, na EBI dos Biscoitos (pág. 41), executou 63 € por criança/aluno (2º valor mais alto na Região).

  • RECURSOS HUMANOS

No ano escolar de 2003/2004, a EBI dos Biscoitos foi servida por 86 docentes (7 educadores de infância, 21 professores do 1º Ciclo, 28 professores do 2º Ciclo e 30 professores do 3º Ciclo - pág. 50; isto significa uma média de 6 crianças/alunos por docente - pág. 49) e 48 não docentes (pág. 51).

Read more...

quinta-feira, 22 de dezembro de 2005

CVR Açores recebe apoio


O Governo Regional dos Açores, através do Secretário Regional da Agricultura e Florestas, atribuíu à CVRAçores - Comissão Vitivinícola Regional dos Açores, com sede na Madalena do Pico, "um apoio financeiro a fundo perdido, no valor de € 80.000,00 (oitenta mil euros), com vista a fortalecer a sua capacidade de assistência técnica nas áreas da contabilidade e gestão do cadastro vitícola, e apoiar a realização das suas atribuições", de acordo com o Jornal Oficial (IIª Série, nº 51, de 20 de Dezembro).
De acordo com o mesmo documento, "a Comissão Vitivinícola Regional dos Açores (CVRAçores) é uma associação privada, sem fins lucrativos, fundada em 5 de Setembro de 1995. O seu objectivo é garantir a genuinidade e a qualidade dos vinhos de indicação de proveniência regulamentada dos Biscoitos, Pico e Graciosa, bem como do vinho Regional Açores".

Read more...

terça-feira, 20 de dezembro de 2005

Mais um apoio para a Casa do Povo

A Direcção Regional da Solidariedade e Segurança Social celebrou mais um acordo de cooperação, sob a forma de apoio eventual, com a Casa do Povo de Biscoitos.
Conforme publicação incluída hoje no Jornal Oficial (IIª Série, nº 51, de 20 de Dezembro), prevê-se que a Casa do Povo dos Biscoitos proceda à aquisição de equipamento para idosos, utentes da valência Apoio ao Domicílio, recebendo para o efeito um subsídio de 2.000,00 € (dois mil euros).
Este acordo foi assinado a 12 de Agosto de 2005, pela Directora Regional da Solidariedade e Segurança Social, Andreia Cardoso, e pelo Presidente da Direcção da Casa do Povo dos Biscoitos, Eugénio Manuel Brasil Simas.

Read more...

domingo, 18 de dezembro de 2005

Praiense repete empate em derby terceirense


O Sport Clube Praiense, treinado pelo biscoitense Chalana, empatou no derby terceirense com o Angrense.
Em jogo da 12ª jornada da XI edição do Campeonato Nacional da Terceira Divisão – Série Açores, o Praiense visitou a equipa da Rua de São João conseguindo um resultado idêntico ao registado na primeira volta desta fase da competição, ou seja, uma igualdade a um golo.
Agora, o Praiense soma 16 pontos, estando no quinto lugar.
Na próxima jornada da Série Açores, após a época festiva, a equipa da Praia recebe o Vitória, da Ilha do Pico (a 8 de Janeiro).

Read more...

sábado, 17 de dezembro de 2005

Jornada de Futsal nos Biscoitos

Realizou-se ao início da noite de hoje, no Pavilhão da Escola Básica Integrada dos Biscoitos, um jogo do escalão de Juniores “C” a contar para o Campeonato da Terceira de Futsal.
Assim, pelas 18:00, tivemos o encontro entre Belém e União Praiense.
Fonte: Diário Insular (17/Novembro/2005).

Read more...

sexta-feira, 16 de dezembro de 2005

Recital pela Paz


No âmbito do programa de actividades da campanha “10 Milhões de Estrelas - Um Gesto Pela Paz”, dinamizada pela CÁRITAS, a Igreja do Imaculado Coração de Maria, nos Biscoitos, é palco, hoje, pelas 20h00, de um Recital pela Paz.
Fonte: Diário Insular (8/Dezembro/2005).

Read more...

quarta-feira, 14 de dezembro de 2005

Comentários sobre Zona Demarcada

Por terem sido referidos em vários comentários (aqui, aqui, e aqui) neste Blog, e actualmente os mais antigos já não estarem disponíveis online, no seu site de origem, recuperamos (se não a totalidade, pelo menos a maior parte) e publicamos de seguida os comentários sobre a Região Demarcada do Vinho dos Biscoitos originalmente alojados em espaço do PortalAçores.
Esperamos que esta "repescagem" não ofenda quem produziu os comentários em questão, visto que entendemos, que tendo estado os mesmos online, serão de "domínio público".
Aqui estão eles:

"Região Demarcada do Vinho dos Biscoitos
http://www.gzcah.pt/biscoitos/ - Adicionado em: 23-Mar-1998 e classificado na categoria: Turismo
Comentários a este Site:
Manuel Mendes
Quinta-feira, 03-Fev-2005 às 18:37:41
Não será umas Região "Marcada" que produz grandes vinhos? Antes dos Vinhos há que preservar condições climáticas... e não tapar o sol com betão armado! Falta massa... cinzenta como diz um biscoitense. Manel Mendes
Manuel Mendes
Sexta-feira, 04-Fev-2005 às 17:58:52
PROVA: a mais difícil das provas, é o ser visto de perto. M.M.
Jacinto
Sábado, 05-Fev-2005 às 18:34:18
região demarcada de? Vinho? Casas? Vinhas abandonadas? falta de cultura...?
marcelino santos
Sexta-feira, 25-Fev-2005 às 20:32:05
ainda existe?
José Júlio de Meneses
Domingo, 27-Fev-2005 às 19:36:30
Porquê uma empresa de prestação de serviços só no Pico, quando a mão de obra está mais envelhecida nos Biscoitos. Uma empresa experimental no Pico? Onde há mais jovens na viticultura! Há mais de cinco anos que alguns produtores e enófilos da ilha Terceira mais atentos tem alertado para o assunto. Querem mesmo dar cabo da casta da Verdelho dos Biscoitos? Voltamos aos monopólios?
josé pimentel alves
Terça-feira, 01-Mar-2005 às 18:19:56
A classificação das vinhas típicas do litoral dos Biscoitos, e a Fajã da Salga, como Paisagem Protegida de Interesse Regional, tem sido como a ferrugem que tem menos acção sobre o ferro, que o vício sobre o coração. quem garante que o esforço de alguns, não será vencido no "campo da batalha"? Quantas videiras morrerão de pé devoradas pela acção de outras sensibilidades. Os despojos esses permanecerão anarquicamente espalhados na orla marítima dos Biscoitos, esperando a passagem das aves de rapina. Para onde caminha a viticultura biscoitense? O cúmulo da degradação, é não conceber a vergonha e desprezá-la!
josé pimentel alves
Terça-feira, 01-Mar-2005 às 18:20:24
A classificação das vinhas típicas do litoral dos Biscoitos, e a Fajã da Salga, como Paisagem Protegida de Interesse Regional, tem sido como a ferrugem que tem menos acção sobre o ferro, que o vício sobre o coração. quem garante que o esforço de alguns, não será vencido no "campo da batalha"?Quantas videiras morrerão de pé devoradas pela acção de outras sensibilidades. Os despojos esses permanecerão anarquicamente espalhados na orla marítima dos Biscoitos, esperando a passagem das aves de rapina. Para onde caminha a viticultura biscoitense? O cúmulo da degradação, é não conceber a vergonha e desprezá-la!
marco pires
Terça-feira, 01-Mar-2005 às 20:26:59
Idem.
Felesminda Cardoza
Quarta-feira, 02-Mar-2005 às 15:29:02
Olhem para isto! Até que enfim!!! Pois, pois, antes a surdez, um verdadeiro benefício nestas ocasiões! Força Bravos da Terceira! p.s.: Não estou a falar dos toiros! Mem das toiradas à corda. Esses já tem a sua região demarcada na Ilha terceira! Ah! Ah! Pudera!
Rodrigues Lima
Quinta-feira, 03-Mar-2005 às 11:53:18
O peso eleitoral é efectivamente muito menor em relação aos milhões de cepas de híbridos, produtores directos e outros familiares (exemplo: morangueiro, localmente vinho de cheiro) que se produzem no Pico e São Miguel. Os Biscoitos tem pouca população e produção. O.K.?
júlia raposo
Quinta-feira, 03-Mar-2005 às 15:01:59
Há que preservar as típicas curraletas a produzir até por que as paredes servem de abrigo também aos morcegos diurnos, espécie rara, para além de muitas plantas vasculares únicas.
Nuno A. Rosado
Sexta-feira, 04-Mar-2005 às 19:08:03
Sim uma paisagem de Interesse Regional para o litoral dos Biscoitos (ilha terceira). Um cadastro vitícola, o número correcto de produtores (a produzir!) e a idade dos mesmos. Será que os seus descendentes querem continuar a profissão? Valerá a pena gastar dinheiro público sem uma análise profunda? Uma empresa de prestação de serviços sem dúvida. Estarão todos os agentes económicos satisfeitos? Ou teremos uma morte lenta da vinha biscoitense, de qualidade , mas assistida?
José Pires Galhardo
Sexta-feira, 04-Mar-2005 às 23:01:59
È dever de todos nós defender a nossa cultura e o que resta da Casta da Verdelho dos Açores, a maior mancha contínua situa-se no litoral dos Biscoitos, ilha Terceira. Verdelho não é portanto uma marca. Nem tudo que é branco é Verdelho!! Mas, nos tempos das públicas calamidades, a surdez é um necessário benefício do céu... A política viticola dos Biscoitos é a mesma de há vinte anos: Vinho numa só ilha! Falta mais qualquer coisa aos habitantes da ilha Terceira.
Luis Mendes
Sábado, 05-Mar-2005 às 00:24:30
HÁ QUE SE FAZER ALGO. Atenção senhores governantes e deputados eleitos pela ilha Terceira. O vinho dos Biscoitos foi um dos vinhos da Rota dos Descobrimentos Portugueses!
Manuel Machado
Segunda-feira, 07-Mar-2005 às 18:00:54
A análise e perpectivas futuras para a viticultura dos Biscoitos (ilha Terceira- Açores) é urgente. Quem quiser formar alguma ideia do futuro vitivinicola biscoitense (região determinada) deve olhar para o pretérito.
Gabriela S. P.Martins
Segunda-feira, 07-Mar-2005 às 18:29:52
Deixar morrer o nosso património, as curraletas e o Verdelho dos Biscoitos da Terceira é apanágio daqueles que tem o carácter da traição. E, a traição é indelével, quem foi traidor uma vez , é traidor toda a vida. Força. Quem visita os Biscoitos nunca mais esquece a paisagem do litoral, a maneira de receber das suas gentes e o seu vinho. É incrível como não se apercebem os governantes das ilhas que estas só podem ter futuro preservando o que de belo tem e a difereça com qualidade, como é o caso do vinho, da massa cevada, da alcatra, enfim de uma ilha alegre que tem tudo para ser a primeira. Basta vontade de todos: das suas gentes e dos seus governantes.
Maria Emília Albergaria Soares C. Cabral
Terça-feira, 08-Mar-2005 às 12:04:28
A cada passo se ouve dizer, que os povos não estão maduros para a liberdade. Não é porém aos povos, é aos gabinetes, que falta a madureza. Que os habitantes dessa ilha maravilhosa e de grandes tradições, continue a manter o único vinho produzido com a nobre casta branca da Verdelho.
Júlio de Matos
Terça-feira, 08-Mar-2005 às 23:38:58
O parque de campismo dos Biscoitos no meio das curraletas da vinha, ficando enquadrado no ambiente, arruamentos largos com mais loteamentos, aos poucos todos os meses a paisagem biscoitense se vai alterando com bonitas e elegantes casas em largura e altura. As construções proximas do mar faz inveja a qualquer um,pois é só sair de casa e mergulhar de cabeça. Certamente o litoral desta freguesia ficará em breve muito lindo e irá atrair muitos consumidores. Parabéns para quem os merecem. A vinha que se lixe. Vinho? È uma questão de importar.
m. garcia pereira goulart
Quarta-feira, 09-Mar-2005 às 09:26:08
julgava que era mais um maluco.
de António Bandeira
Quarta-feira, 09-Mar-2005 às 16:31:28
Ao ler estes comentários apeteceu-me recordar ANTÓNIO BANDEIRA. "ARQUITECTURA NACIONAL Depois de muito matutar, o senhorio lisbonense chama o mestre d'obras: - Preciso que me faça um predio. - Sim, senhor. Rico ou pobre? -Pobre, mas parecendo rico. -Occupando todo o terreno? -Pois está visto! Jardim, isso é bom para os patetas, que não sabem dar valor do dinheiro... -E emquanto a estylo? Qual estylo nem qual carapuça! Estylo... Julga que eu sou para ahi algum pretencioso?... Estylo é cada qual metter no mesmo terreno a maior quantidade de inquilinos. - Mas é que se póde fazer uma cousa com certo cunho portuguez. - O cunho é o que fôr mais baratinho. Vamos lá a ver. As paredes como é que sahem mais baratas? -Lisa e caiadas. -Está muito bem. - E janellas quantas quer? -Poucas. -Estylo francez. -Sim. -E as portas? Estylo inglez? -Sim. Estylo inglez. -Quer os cunhaes á hespanhola? -Quero, se forem baratos. -E o telhado á suissa? -Sim, á suissa, com telha de Marselha. -Quer a escada á russa? -Quero. -E a claraboia á turca? -Sim. -E os tectos? -Baixinhos, para render mais. -Está combinado. Ha-de ficar uma casa catita!... O mestre de obras vae para sahir. N'isto, lembra-se de qualquer cousa e volta: -V.ex.ª não quer mais nada á portuguesa? O senhorio, tirando uma fumaça do charuto: -Uma cousa á portuguesa ponho-lhe eu. È a renda. "in António Bandeira , Almanaque Açores Anno XI 1915. pag. 192 Sousa & Andrade. Angra
Cristiano da Silva
Quinta-feira, 10-Mar-2005 às 13:23:59
Meus amigos , coisa alguma é impossível! Há caminhos que conduzem a todos fins. Quando existe boa vontade, encontram-se sempre os meios. Não desistam de lutar por aquilo que é nosso, neste caso o vinho de verdelho dos Biscoitos e que só os açorianos podem e devem concretizar.
È só o vinho que embriaga?
Terça-feira, 15-Mar-2005 às 22:34:03
Então previsões de vinho em alta ? Mais produtores? Muita chuva? Ou mais apoios em euros?Quem lê os jornais... mas a realidade é outra. Tenham TODOS mais juízo. Já estamos no 2005 (não milhões de litros!).
Meia bola
Terça-feira, 15-Mar-2005 às 22:42:33
O site actual tem muito a ver com a realidade viticola dos Biscoitos. Tasse mesmo a ver não tasse? A juventude já aderiu em massa! Deixaram de estudar para cultivar a vinha nos Biscoitos. Segundo alguns comentaristas nos próximos dois anos os Biscoitos terão 90% do litoral já cultivado.
vinvi metody
Sexta-feira, 18-Mar-2005 às 12:41:08
SOS CURRALETAS Eatão a "meter água" no litoral dos Biscoitos? "Eu quero voltar para a ilha"!
turista na rota do vinho
Terça-feira, 22-Mar-2005 às 14:21:44
É uma questão social. Educação e paladares duvidosos mal educados ou viciados. Agora acredito.
Com pista
Quinta-feira, 31-Mar-2005 às 18:02:23
Estão a destruir a paisagem característica da cultura da casta da Verdelho dos Biscoitos? As curraletas? Sim eu vi! Estão ainda hoje a alargar canadas(vias secundárias) de 4 metros para 10 metros! Parque de campismo com restaurantes e PARQUE PARA ESTACIONAR AUTOMÓVEIS e AUTOCARROS, CALCULEM!!!!! Que belo AMBIENTE!?
Eleitor
Sábado, 09-Abr-2005 às 20:11:21
"Publicidade Presidência do Governo Gabinete do Presidente CONSELHO DO GOVERNO REGIONAL Angra do Heroísmo, 22, 23 e 24 de Outbro de 1997 (...) 8- Aplicar medidas de protecção à Zona de Produção de Vinho DE Verdelho dos Biscoitos, desencadeando de imediato um processo LEGISLATIVO nesse sentido". In. a União, terça - feira , 4 de NOVEMBRO de 1997, pagina n.ª 8 Nota: Era Secretário Regional da Agricultura o Senhor Prof. Doutor Fernando Lopes. Obrigado Senhor Professor!
Contribuinte
Sábado, 09-Abr-2005 às 20:16:06
Então? Depois do senhor Secretario professor Lopes ter dado o lugar a outro, ficou na gaveta?Sem mais comentários.
Híbrido
Domingo, 10-Abr-2005 às 20:43:19
Quem vê o site e diversas declarações de responsáveis eleitos pelo sector vitivinicola, fica a perceber um pouco do que se passa. Ainda me recordo que a 16 de Janeiro de 2004 refere o Diário Insular, numa reunião nos Biscoitos o senhor director regional de DESENVOLVIMENTO AGRÁRIO DOS AÇORES Engº Joaquim Pires afirmava ter "um plano para a "ILHA" dos BISCOITOS, para tentar criar um regime de sucessão, do tipo geracional, criando entusiasmo no seio das famílias, através dos filhos dos produtores de vinha, o que garantirá o futuro, e não apenas pelos rendimentos, como ainda por questões de ordem sentimental, trabalhando a vinha que é de forma histórica e sentimental, das diversas famílias envolvidadas". QUE TIPO DE PROJECTO(desde 16 de Janeiro de 2004) é esse? Seria altura também do D. I. voltar a perguntar ao senhor director o que se passa. Terá ficado também na gaveta ? E, já agora numa próxima entrevista ao senhor director perguntar o que se tem feito e qual o futuro da VINHA nos Biscoitos (ilha Terceira).
Francisca da Conceição Roseira
Segunda-feira, 11-Abr-2005 às 13:17:44
Ó Cardoza afinal tinhas rezão estão a despedaçar as vinhas dos Biscoitos da nossa ilha e querida ilha Terceira só por monde de se lavarem uma vez por ano no mar da calheta. E fazerem palácios no meio das curraletas da vinha do nosso vinho branco. Yá não digo mais nada por que ao dispois o diabo tem muita força. Cruzes canhoto.
produtor a produzir
Terça-feira, 12-Abr-2005 às 17:39:11
Mas para que fique registado e por que a memória das pessoa ás vezes falha: Diário Insular de 16 de janeiro de 2004. (...)Joaquim Pires realçou que "não pode esperar-se que apareçam, de repente, centenas de novos associados, até porque eles não existem nessa quantidade". (...)Sem mais comentários.
Philomena Cloduvant
Quinta-feira, 14-Abr-2005 às 19:33:24
Q maladie dans le vignole? Politique? Moi amava le vin de Biscoitos!
Maria Etelvina Baptista
Sábado, 16-Abr-2005 às 10:47:56
Ó Felesminda já leste tão bem ? A nossa querida terra e o nosso vinho branco dos Biscoitos está cada vez menos por via das puliticas. A Cardoza disse para eu ver e eu já vi assim como as minhas vizinhas. O canal 76 já deu images das casas e máquinas a despadaçar as curraletas e vinha. Tal pena. Dizem que é o preguresso acabar com as nossas tradições e abandonar terras. Ainda dizem que a culpa são da gente que saimos delá. Já oiviste isto na rádio já deram noticias no fim de semana passado, eles lá que se amanhem e ao dispois queixam-se dos oitros.
Josefa Freitas
Sábado, 16-Abr-2005 às 20:16:11
Eipá ó Cardoza que vergonha é aquilo que estão fazendo nas vinhas dos Biscoites, forte tarraçada, é mesmo para descarolar tudo já nem me apetece ir á nossa saudosa e querida ilha Terceira. nem me digas mais nada pois até estoi com nauseas.
Emília da Costa
Domingo, 17-Abr-2005 às 12:41:10
oh querida Felisminda é na verdade feio o que estan a fazer na beira mar e nas vinhas dos Bicoitos. Eu tabem vi na televeja images e comentarios contra mas quem manda são os senhores grandes e puliticos. Olha minha amiga que á muita gente contra. Ainda onte no G. Club todos falavam do escarolar das curraletas de vinha. E ninguem fax abrir os olhos á aquela gente. Deve haver peixe graudo. Tal pena mas ainda vou ver se vou mandar comprar umas ragafas do verdelho para os meus netos. Já lá na vou mais a idade e a viage é grande mas é de meter dó.
Agente Económico
Domingo, 17-Abr-2005 às 21:01:03
Li com muita atenção todos os comentários, aliàs muito interessantes e elucidativos da realidade vitivinícola dos Biscoitos da Ilha Terceira. Os apelos pelo bom nome dos Biscoitos já os ouvimos e lê-mos noutros orgãos de comunicação social portuguesa e estrangeira, assim como os constantes protestos vindos de sectores ligados á vinha e ao vinho, curiosamente apenas entidades particulares, casos da Confraria do Vinho Verdelho dos Biscoitos, incluindo a sua formidável Revista "Verdelho"; do Museu do Vinho dos Biscoitos da Casa Agrícola Brum e de muitas pessoas de reconhecido mérito que públicamente tem também defendido o património vitivinicola biscoitense, incluindo claro está a paisagem única que são as típicas curraletas onde se produz um dos melhores vinhos brancos de Portugal, como já foi mencionado e justificado em várias revistas da especialidade. Então tudo isso ainda não resultou? Será que os Biscoitos irão pelo mesmo caminho do Porto do Martin (Ilha Terceira) e da ilha Graciosa também um Região Demarcada que antigamente produzia vinho branco em quantidades enormes e hoje, enfim como dizia uma senhora no seu comentário é o progresso fruto do tempo. Serão da mesma opinião a CVR-Açores, as autarquias, secretarias regionais quase todas com uma palavra a dizer sobre este assunto? Quem Demarcou os Biscoitos como Região de Vinhos? Será para vinhos?
Vitorina C. Pureza
Terça-feira, 26-Abr-2005 às 11:55:43
Chiça cara da minha alma o que istan a fazer ás vinhas da verdelho dos Biscoitos. Na á ningem que mande bugiar essa gente, até fico bespinhenta. Deve a ver alguém aferroar ora se não ade. Eles é que se amanhem cu essas puliticas. E lá se vai o vinho branco da nossa ilha. E os nossos puliticos que dizem defender as nossa traidiçães que falem agora.
Alexandre Paixão
Terça-feira, 26-Abr-2005 às 13:06:21
Gostei imenso de ler todos os comentários bem demonstrativos do desagrado de muitas pessoas. Penso que também de alguns residentes fora da ilha Terceira, o que prova o amor á terra onde nasceram e viveram. A saudade por vezes faz valorizar o que se vai perdendo. Deixo aqui uma palavra de concordância a todas as pessoas que tem lutado pelas vinhas dos Biscoitos. Continuem a manifestar-se pois actualmente já o podem fazê-lo.
Júlio Graça
Sábado, 30-Abr-2005 às 16:29:02
O site é curioso. Mas o sítio das curraletas das vinhas dos Biscoitos é optimo. Dá optimos vinhos. Os comentários muito interessantes! Quem já enfiou o barrete?
Enófilo
Quarta-feira, 11-Mai-2005 às 09:48:46
"Quem tem o vinho triste , tem o coração triste".
Shakira
Terça-feira, 17-Mai-2005 às 16:14:23
Gostei!
RVB
Quinta-feira, 19-Mai-2005 às 20:06:32
VIVA A RESISTÊNCIA VITICOLA DOS BISCOITOS!
RVB
Sexta-feira, 20-Mai-2005 às 22:32:00
Mas afinal que pensam(?) ou dizem o Secretário Regional do Ambiente dos Açores e o Director Regional do Ambiente da mesma Região Autónoma? Não conhecem os Biscoitos? Certamente nunca lá foram! Ah! Também não querem "fundamentalismo ambiental"!!! (Frase utilizada por um governante dos Açores: Diário Insular 9 de Julho de 2002)
Francisca Pirralho
Sábado, 21-Mai-2005 às 10:10:11
Tesconjuro. As impressães das gentes de cima faz-me andar como um gato em dia de matança. A que cargas dágua vem isto? Tenho que amarrar o génio senão ainda vou sobre os pés.
Angélica Ricourt
Domingo, 22-Mai-2005 às 10:40:56
Olha me vomecês que é de ficá com os bofes á boca. Pois eles estão -se derretendo. E nós pur cá estames a meter nos em calças pardas. Já nan á nas nossas ilhas botadeiros de sentido? É preciso dar lhes um cuspinho no nariz?
Navegador solitário
Quinta-feira, 23-Jun-2005 às 23:22:54
O VINHO DE VERDELHO DOS BISCOITOS para a rota da Carreira das Índias e ainda hoje é produzido no norte da ilha Terceira e assi ligado a uma Angra PATRIMÓNIO MUNDIAL da UNESCO desde 7 de Dezembro de 1983.
Simplemente Manoel
Terça-feira, 28-Jun-2005 às 22:01:31
O vinho da CARREIRA DAS ÍNDIAS!Angra do Heroísmo PATRIMÓNIO MUNDIAL DA UNESCO. Na recomendação do ICOMOS pode ler-se que durante quase três séculos o porto da ilha Terceira esteve directa e materialmente associado ao acontecimento de significado histórico universal que foram os DESCOBRIMENTOS MARÍTIMOS dos séculos XV e XVI, que permitiram a comunicação entre as grandes civilizações do planeta, nomeadamente de Àfrica, Ásia, América e Europa. Em 1499, Vasco da Gama instaurou a obrigatoriedade da escala na ILHA TERCEIRA para as Caravelas, Barcas eNaus das Índias Orientais e Ocidentais na ROTA DE REGRESSO AO REINO. Em 1567, num relato de viagem, o navegador italiano Pompeo Arditi de Pesaro, referia-se assim à ilha Terceira: " À ilha afluem muitos navios por ser mais cómodo à navegação do que qualquer das outras, por isso nela tocam todos os vindos das ìndias Orientais e Ocidentais, Brasil, São Tomé,Mina e Cabo Verde,a reabastecer-se de mantimentos, parecendo que Deus pôs milagrosamente esta Ilha no meio do oceano, para salvação dos míseros navegantes, que muitas vezes lá chegam sem mastros nem velas, ou sem mantimentos, e aí se fornecemde tudo". in embalagem do primeiro vinho VLQPRD BISCOITOS (ilha Terceira)BRUM-VINHO VERDELHO 1994. (Museu do Vinho dos Biscoitos da Casa Agrícola Brum Lda.)"

Read more...

terça-feira, 13 de dezembro de 2005

Governo Regional apoia Adega Cooperativa

Foi hoje publicada no Jornal Oficial (IIª Série, nº 50, a 13 de Dezembro), a atribuição de uma ajuda financeira à Adega Cooperativa dos Biscoitos.
A portaria do Secretário Regional da Agricultura e Florestas, de 24 de Novembro, atribui a verba de € 75.000,00 (setenta e cinco mil euros), com vista a "apoiar a assistência técnica, a concentração da produção e o desenvolvimento de acções de divulgação vitivinícolas junto dos seus associados".
Como justificativo, é considerado que "o associativismo agrícola é um pressuposto fundamental da modernização da agricultura", "compete à Secretaria Regional da Agricultura e Florestas apoiar a organização, a estruturação e o desenvolvimento das várias formas de associativismo agrícola para os fins e modalidades que sejam consideradas mais viáveis e proveitosos para a economia regional", e "a actividade da Adega Cooperativa dos Biscoitos, reveste a maior importância para o fortalecimento da organização dos produtores de vinho da região dos Biscoitos, na ilha Terceira, contribuindo decisivamente para a concentração da sua produção, sua divulgação e promoção vitivinícola bem como, pelo fortalecimento da implementação de acções de informação e de formação profissional aos viticultores associados".

Read more...

segunda-feira, 12 de dezembro de 2005

Mais apoio para Associação de Kickboxing/Full-Contact


Foi publicada no Jornal Oficial (IIª Série, nº49, a 6 de Dezembro), a atribuição de nova comparticipação financeira à Associação de Kickboxing/Full-Contact dos Açores (que tem a sua sede na freguesia dos Biscoitos).
A portaria do Secretário Regional da Educação e Ciência, de 15 de Novembro, atribui a verba de 9.304,34 € (nove mil, trezentos e quatro euros e trinta e quatro cêntimos) destinada a apoiar o desenvolvimento de actividades no kickboxing, conforme o Contrato-Programa celebrado para o ano de 2005.

Read more...

domingo, 11 de dezembro de 2005

Praiense vence em casa


A equipa do biscoitense Chalana desforrou-se da derrota (1-0) sofrida no campo do adversário, na primeira volta desta primeira fase da competição, através de uma vitória por 2-0.
Assim, ao fim de onze jogos, o Sport Clube Praiense tem 15 pontos, subindo ao quarto lugar e assim regressando à primeira metade da tabela classificativa.
Na próxima jornada da Série Açores, a 18 de Dezembro, o Praiense visita o Angrense.

Read more...

sábado, 10 de dezembro de 2005

Brincandebol


A Associação de Andebol da Ilha Terceira leva a efeito hoje, das 10h00 às 12h00, no Pavilhão da Escola Básica Integrada dos Biscoitos, o II FESTAND “ Brincandebol “.
O evento constitui uma festa de animação sócio desportiva, para crianças do 1º Ciclo e núcleos das “Escolinhas do Desporto de Andebol”.

Read more...

sexta-feira, 9 de dezembro de 2005

5000 visitas


Temos novamente festa no Blog sobre os Biscoitos.

Desta feita o marco que comemoramos são as cinco mil visitas que já recebemos.
Tanto ou mais significativos são os comentários dos nossos visitantes, desde os mais directos e pertinentes até aos mais eruditos e filosóficos.
Infelizmente não conseguimos responder directamente à maioria deles mas estejam certos que lemos com atenção tudo quanto é inserido neste espaço de partilha sobre os Biscoitos e procuramos, mais cedo ou mais tarde, corresponder a todos os desafios e sugestões que nos são lançados.
Mais uma vez, obrigado a todos.

Read more...

quinta-feira, 8 de dezembro de 2005

Possível terreno para Esquadra da PSP

Esperemos que, pela concretização desta ou de outra hipótese, se consiga assegurar a permanência da autoridade de segurança pública nos Biscoitos, em condições que permitam estabilidade e bom desempenho das suas obrigações.

Read more...

quarta-feira, 7 de dezembro de 2005

Guardiões voluntários

Na sequência da recente onda de assaltos nos Biscoitos, bem como por muitos outros locais da Ilha Terceira, a população desta freguesia organizou-se para proteger activamente os seus bens. Este facto já foi alvo de notícia na comunicação social, como pertinentemente um morador nos Biscoitos comentou ontem neste blog.
O mesmo órgão de comunicação social apresenta algumas considerações produzidas por fonte da autoridade policial sobre esta actividade, sugerindo "que cada pessoa vigie as suas casas e fiquem quietas para não serem elas a quebrar as leis e passarem a ténue linha de fronteira entre um trabalho meritório e serem eles a acabar na prisão por cometerem crimes pensando que estão a fazer algo de bom". É ainda aconselhado vivamente aos cidadãos que comecem a “cuidar mais e melhor das suas casas, fechando as portas dos edifícios e dos carros a fim de não facilitarem a vida a quem os quer assaltar”, e a utilizarem meios de auto protecção como alarmes, cães ou outros.
No mesmo número do Diário Insular, o Editorial aborda este assunto, escrevendo-se, entre outras coisas o seguinte: "Uma coisa é certa: estas atitudes que, em outras alturas da nossa História, foram impulsionadas para compensar a falta de protecção policial, nem sempre deram bons resultados, por descambarem, não poucas vezes, em violência gratuita. Bastará lembrar a “Justiça da Noite”. Para pôr cobro a esse estado de espírito, é preciso que o cidadão recupere a confiança e acredite na disponibilidade das suas Polícias para o defenderem. Como é que isso é possível se, ao que parece, a Terceira tem, actualmente, menos 30 por cento dos agentes que seria suposto ter; quando as prioridades de actuação, mesmo dentro das actuais contingências, talvez estejam mal definidas; quando há serviços oficiais que exigem desequilibradamente os seus préstimos... Todas estas angústias nos assaltam, porque esbarramos com muitos polícias de dia e muito poucos à noite, sendo que é pela calada da noite que as pessoas são vítimas. E vivemos num paraíso!"
Outro local onde esta situação está referida e comentada é o blog "açores sa".
Por nós, respeitando-se os preceitos legais e o bom senso, e na ausênsia de eficácia por parte das autoridades competentes em termos de segurança pública, vemos como positivo que existam voluntários para agir como guardiões dos bens dos biscoitenses.

Read more...

terça-feira, 6 de dezembro de 2005

Dia da Defesa Nacional

Foram seleccionados seis mancebos biscoitenses para as jornadas relativas ao Dia da Defesa Nacional.
Três destes cidadãos devem comparecer às 9 horas e 30 minutos de hoje no Comando da Base Aérea Nº4, nas Lages, e os outros três estão convocados para o próximo dia 14 de Dezembro, para o mesmo local e mesmo horário.

De acordo com informações disponíveis no site do Ministério da Defesa Nacional, este dia visa sensibilizar os jovens para a temática da Defesa Nacional e divulgar o papel das Forças Armadas. Isto concretiza-se através de um programa que tem a duração de um dia (inicia-se às 09h30m e termina às 17h00m). Os cidadãos serão recebidos e acompanhados por jovens oficiais, os quais lhes irão dar a oportunidade de conhecer, entre outros assuntos, os seguintes: As razões porque existe o Dia da Defesa Nacional; O que é ser cidadão; O significado da Defesa Nacional; O papel das Forças Armadas; Como é o actual Serviço Militar; Como ingressar nas Forças Armadas; O que é possível ser e fazer nas Forças Armadas; Quais os incentivos de que beneficiam os que ingressam nos regimes de voluntariado (RV) e de contrato (RC).
Os cidadãos terão ainda a oportunidade de assistir às cerimónias do Içar e Arriar da Bandeira Nacional, visitar a Unidade Militar onde está sedeado o Centro de Divulgação da Defesa Nacional (ficando a conhecer as suas principais actividades e os seus meios / equipamentos militares) e colaborar com o Ministério da Defesa Nacional, através de preenchimento de um Inquérito Sociológico, manifestando a sua opinião relativamente ao Dia da Defesa Nacional e às Forças Armadas.

Read more...

segunda-feira, 5 de dezembro de 2005

Dia Mundial do Voluntário

Este dia 5 de Dezembro é dedicado ao Voluntário.

Muitos são aqueles que se dedicam de forma voluntária a causas variadas, em actos de pura cidadania, tendo como comum o desejo e a realização de algo que surge como beneficiador de/dos outros.
Também nos Biscoitos, e ainda bem, inúmeras são as pessoas que se comprometem, de forma continuada ou pontual, a determinadas missões, sob o regime de voluntariado. É o caso de educadores e animadores sociais (catequistas, escuteiros, dirigentes de grupos infantis, juvenis e de idosos...), dirigentes e animadores recreativo-culturais (membros de direcções e colaboradores de instituições locais como as sociedades filarmónicas, a Casa do Povo...), dinamizadores desportivos (em várias modalidades), membros de comissões de festas (em louvor do Divino Espírito Santo, de Santos Padroeiros, de animação de algumas ruas...) e imensos outros que a memória não vislumbra neste preciso momento.
É com o contributo desta multidão de voluntários que muito se faz na nossa freguesia, como noutras, enriquecendo aquilo que é o dia-a-dia de cada um de nós.
A todos os voluntários os nossos agradecimentos e os nossos parabéns!

Read more...

domingo, 4 de dezembro de 2005

Empate na Graciosa


Depois de uma vitória em casa por 1-0, na primeira volta desta primeira fase da competição, nesta jornada de início da segunda volta o Sport Clube Praiense conseguiu um empate sem golos.
A equipa do biscoitense Chalana soma agora 12 pontos, mantendo a sexta posição da tabela classificativa.
Na próxima jornada da Série Açores, a 11 de Dezembro, o Praiense recebe o Santo António.

Read more...

sexta-feira, 2 de dezembro de 2005

Novos dados sobre urbanização

Em relação à urbanização em regime de construção a custos controlados (por nós referida a 24 de Novembro), prevista para o Caminho dos Caneleiros, nos Biscoitos, existem novos elementos.
De acordo com anúncio do Governo Regional (GACS, 28/Novembro/2005) a urbanização terá "uma área total de 7.200 metros quadrados, que serão divididos em lotes, equipamento de utilização colectiva e espaços verdes".
A mesma
nota adianta que "a operação de loteamento vai permitir a construção de 22 habitações unifamiliares em banda, de dois pisos, cuja forma de associação em três conjuntos desenvolvidos segundo a topografia do terreno existente quebrará a monotonia do empreendimento".

Read more...

quinta-feira, 1 de dezembro de 2005

Posto de Atendimento ao Cidadão


No âmbito do projecto governamental regional RIAC - Rede Integrada de Apoio ao Cidadão, foi hoje inaugurado, na Vila das Lajes, mais um Posto de Atendimento ao Cidadão (PAC). Este é o segundo posto do género na Ilha Terceira, integrado numa rede que "vai abranger todas as ilhas do arquipélago ainda este ano e todos os concelhos até ao final do primeiro semestre de 2006", de acordo com anúncio do Governo Regional (GACS, 2/Novembro/2005).
A mesma fonte refere "que, durante o corrente ano, foi feito o levantamento das localidades onde se pretendiam abrir novos PAC “tendo, para isso, sido efectuados estudos de natureza socio-demográfica que nos permitiram definir as localizações, bem como estabelecer as parcerias necessárias com diversas entidades, como sejam as Juntas de Freguesia, Casas do Povo, serviços de freguesia da Segurança Social e Câmaras Municipais”".
Os PAC's, em complemento ao atendimento por telefone e via Internet, têm "como objectivo o disponibilizar não só serviços da Administração Regional como, em parceria com outras entidades públicas e privadas, abranger um vasto leque de serviços. Agricultura e Pecuária, Autarquias, circulação rodoviária, documentos e licenças, empresas e economia, habitação, juventude, pescas, recursos florestais, saúde, segurança social e ainda outros serviços, como o pedido de senha para entrega de declarações electrónicas da Direcção Geral dos Impostos ou a consulta dos cadernos de recenseamento eleitoral são as áreas em que os cidadãos passam a ser atendidos com mais rapidez e comodidade, através da rede de Postos". Nos mesmos espaços será possível, através da empresa Pay-shop, "o pagamento de contas domésticas (...) como são os casos das facturas de telecomunicações fixas e móveis, Cabo TV, electricidade, água e ainda o carregamento de telemóveis".
Visto que consideramos este projecto muito interessante, damos nota dele para expressar que gostaríamos de o ver aplicado também nos Biscoitos, justificando com o facto de esta freguesia se situar relativamente distante das duas sedes de concelho existentes na Ilha Terceira e, logo, de muitos dos locais habituais onde os cidadãos podem usufruir dos serviços em causa. A esta razão acrescentamos a sua centralidade no contexto geográfico do norte da Ilha Terceira (nomeadamente por ser eixo fulcral em termos da rede de transportes públicos) e o também o seu relevante peso em termos populacionais (quer por si, quer em conjunto com as freguesias vizinhas).

Read more...
Biscoitos, Praia da Vitória, Ilha Terceira, Açores, Portugal

  © Blogger templates The Professional Template by Ourblogtemplates.com 2008

Back to TOP