segunda-feira, 13 de fevereiro de 2006

Formação sobre Prevenção do Mau Uso e Abuso de Substâncias Psicoactivas/Droga

De acordo com nota do Governo Regional (GACS, 8/Fevereiro/2006), a Secretaria Regional dos Assuntos Sociais (SRAS) está a promover, desde sábado, na ilha Terceira, um conjunto de acções de formação integradas no Plano Regional de Prevenção do Mau Uso e Abuso de Substâncias Psicoactivas/Droga, orientadas pelo director clínico do Centro de Atendimento a Toxicodependentes das Taipas, Luís Patrício.

Enquadrada neste conjunto, está prevista para hoje, dia 13, entre as 09:30 e as 17 horas, na
Escola Básica Integrada dos Biscoitos, uma acção de formação, dirigida a professores, sobre o uso da Mala da Prevenção.

31 comentários:

Anónimo,  13/2/06 13:01  

Quebramos os Dois


Eu a convencer-te que gostas de mim,
Tu a convenceres-te que não é bem assim.
Eu a mostrar-te o meu lado mais puro,
Tu a argumentares os teus inevitáveis.

Eras tu a dançares em pleno dia,
E eu encostado como quem não vê.
Eras tu a falar para esconder a saudade,
E eu a esconder-me do que não se dizia.

Afinal...
Quebramos os dois afinal.
Quebramos os dois...

Desviando os olhos por sentir a verdade,
Juravas a certeza da mentira,
Mas sem queimar de mais,
Sem querer extinguir o que já se sabia.

Eu fugia do toque como do cheiro,
Por saber que era o fim da roupa vestida,
Que inventara no meio do escuro onde estava,
Por ver o desespero na cor que trazias.

Afinal...
Quebramos os dois afinal.
Quebramos os dois afinal.
Quebramos os dois afinal.
Quebramos os dois...

Era eu a despir-te do que era pequeno,
Tu a puxar-me para um lado mais perto,
Onde se contam histórias que nos atam,
Ao silêncio dos lábios que nos mata.

Eras tu a ficar por não saberes partir,
E eu a rezar para que desaparecesses,
Era eu a rezar para que ficasses,
Tu a ficares enquanto saías.

Não nos tocamos enquanto saías,
Não nos tocamos enquanto saímos,
Não nos tocamos e vamos fugindo,
Porque quebramos como crianças.

Afinal...
Quebramos os dois afinal.
Quebramos os dois afinal.
Quebramos os dois...

É quase pecado que se deixa.
Quase pecado que se ignora.

De Mim para Ti... Podia ser...

azoriana 13/2/06 16:13  

Este poema anónimo quebrou-me... mas vinha aqui para lhe pedir que me informe de quantos(as) acompanhante(s) vai levar ao EBIT - I Encontro Bloguista da Ilha Terceira ou se não leva ninguém. Pode responder para o e-mail. Muito obrigado.

Anónimo,  14/2/06 08:18  

First Day Of My Life


So I found a reason to stay alive
Try a little harder see the other side
Talking to myself
Too many sleepless nights
Trying to find a meaning to this stupid life
I don’t want your sympathy
Sometimes I don’t know who to be
Hey what you're looking for
No one has the answer
They just want more
Hey who’s gonna make it right
This could be the first
Day of my life

So I found a reason
To let it go
Tell you that I’m smiling
But I still need to grow
Will I find salvation in the arms of love

Will it stop me searching will it be enough

I don’t want your sympathy
Sometimes I don’t know who to be
Hey what you're looking for
No one has the answer but you just want more
Hey who’s gonna make it right
This could be the first day of my life

The first time to really feel alive
The first time to break the chain
The first time to walk away from pain

Hey what you're looking for
No one has the answer we just want more
Hey who’s gonna make it right
This could be the first day of your life
Hey what you're looking for
No one has the answer they just want more
Hey who’s gonna shine alight?
This could be the first day of my life

Neste dia... Eu não me esqueci de ti!!!

A. Flavis,  14/2/06 12:50  

Lembra-te de mim

Entrei numa casa fria
De portadas entreabertas
Espreitei a ver se te via
As ruas estavam desertas

Os amores já terminados
São ausência, fazem mal
Não me esqueço do recado
Nem de um gesto ocasional

Ao notares que estou mais velho
Passa por mim devagar
Quando / e se te olhares ao espelho
Também tu irás notar

Lembra-te de mim...

Os rostos p´ra quem os viu
Já não são como dantes
Percorro as margens de um rio
Há séculos, há instantes

Vivo de vagas memórias
Onde te espero encontrar
São derrotas, são vitórias
Quero agora descansar...

Para ti, Litlle Bird!

Anónimo,  14/2/06 13:44  

Teus beiços são lindos, lindos,
Teus olhos mais lindos são:
Os olhos dizem que sim
Os beiços dizem que não.

Aqui, defronte de ti
Resignado e triste estou,
Não sei se de mim te lembras,
Nem sei se sabes quem sou.


Tlm

Anónimo,  14/2/06 21:39  

Beiço, s.m. Lábio; cada uma das duas partes exteriores, vermelhas e carnudas, que formam o contorno da boca.

Anónimo,  14/2/06 21:56  

Saber que se sabe o que se sabe,e saber que se não sabe o que se não sabe - eis a sabedoria.
A. Karr

Anónimo,  15/2/06 08:21  

Quem perde os seus bens, perde muito; quem perde um amigo, perde mais; mas quem perde a coragem, perde tudo.

(Autor desconhecido)

Faustino,  15/2/06 12:43  

Que o amor continue para além do dia dos namorados, dentro e fora das escolas.
Um blog com interesse.

Anónimo,  16/2/06 14:33  

A primeira e pior de todas as fraudes é enganar-se a si mesmo. Depois disto, todo o pecado é fácil.
(J. Bailey)

EBI Biscoitos,  16/2/06 16:10  

Fico Assim Sem Você


Avião sem asa, fogueira sem brasa
Sou eu assim sem você
Futebol sem bola. Piu-Piu sem Frajola
Sou eu assim sem você

Por que é que tem que ser assim?
Se o meu desejo não tem fim
Eu te quero a todo instante
Nem mil alto-falantes
Vão poder falar por mim

Amor sem beijinho,
Buchecha sem Claudinho
Sou eu assim sem você
Circo sem palhaço, namoro sem amasso
Sou eu assim sem você
To louca pra te ver chegar
To louca pra te ter nas mãos
Deitar no teu abraço, retomar o pedaço
Que falta no meu coração

Eu não existo longe de você
E a solidão é o meu pior castigo
Eu conto as horas pra poder te ver
Mas o relógio tá de mal comigo Porque? Pooooooorque?

Neném sem chupeta, Romeu sem Julieta
Sou eu assim sem você
Carro sem estrada, queijo sem goiabada
Sou eu assim sem você

Por que é que tem que ser assim?
Se o meu desejo não tem fim
Eu te quero a todo instante
Nem mil alto-falantes
Vão poder falar por mim

Eu não existo longe de você
E a solidão é o meu pior castigo
Eu conto as horas pra poder te ver
Mas o relógio tá de mal comigo

Anónimo,  16/2/06 18:55  

Acreditar!

À medida que procuro
Assunto p'ra conclusão
De uma charada, recebo
Enérgica reprovação.

N.C.

Anónimo,  16/2/06 20:15  

Ninguém bem,quer ser segunda,
Ninguém mal, quer ser primeira,
Mas esta o todo quer ter,
Pois labuta com canceira,
P'ra lhe pôr cedo o comer,
Na mesa de cabeceira.

Um desterrado(Rio de Janeiro)

Anónimo,  16/2/06 20:36  

Ah!...

De Venus sacerdotisa...
E uma formosa deidade!...
É emblema da constância,
Do amor e da amizade.

J.N.V.( Bonito-Pernanbuco)

Anónimo,  16/2/06 20:40  

Comentários anónimos têm uma vantagem: não exigem resposta.

(Alexandre Dumas, Filho)

Anónimo,  16/2/06 20:48  

Para o homem, o amor é um episódio da vida;para a esta mulher é a vida inteira...
(autor brasileiro?)

Anónimo,  16/2/06 22:39  

Oi!

Isto vai sem barafunda
A minha parte terceira
Possui duas da segunda
Mais uma só da primeira


Conceito, minha leitora,
Dou-vos todo d'uma vez
Procurai, sem demora
De lã tecido inglês.

(Manuel Pessanha (Sabará - Minas).

Anónimo,  17/2/06 08:35  

Senhor, fazei que eu procure mais consolar do que ser consolado, compreender do que ser compreendido, amar do que ser amado. Pois é dando que se recebe, é perdoando que se é perdoado, e é morrendo que se vive para a vida eterna.

(S. Francisco de Assis)

Anónimo,  17/2/06 13:08  

Se uma pessoa diz a outra que a ama, a própria linguagem supõe a expressão "para sempre". Não tem sentido dizer: - Amo-te, mas provavelmente só durará uns meses, ou uns anos, desde que continues a ser simpático e agradável, ou eu não encontre outro melhor, ou não fique feia com a idade. Um "amo-te" que implica "só por algum tempo" não é um amor verdadeiro. É antes um "gosto de ti, agradas-me , sinto-me bem contigo, mas de modo algum estou disposta a entregar-me inteiramente, nem a entregar-te a minha vida".

(V. Pyleva)

Anónimo,  17/2/06 15:31  

Sabemos sempre quem nos fere, mas nem sempre sabemos a quem ferimos.

(Autor desconhecido)

Anónimo,  17/2/06 22:59  

Por mais que pense que não
E julgue estar esquecido
Todos enfim saberão
Aquilo que está escondido.

JAP

Maresia,  18/2/06 22:06  

Velha Infância


Você é assim
Um sonho pra mim
E quando eu não te vejo

Eu penso em você
Desde o amanhecer
Até quando eu me deito

Eu gosto de você
E gosto de ficar com você
Meu riso é tão feliz contigo
O meu melhor amigo é o meu amor

E a gente canta
E a gente dança
E a gente não se cansa

De ser criança
Da gente brincar
Da nossa velha infância

Seus olhos meu clarão
Me guiam dentro da escuridão
Seus pés me abrem o caminho
Eu sigo e nunca me sinto só

Você é assim
Um sonho pra mim
Quero te encher de beijos

Eu penso em você
Desde o amanhecer
Até quando eu me deito

Eu gosto de você
E gosto de ficar com você
Meu riso é tão feliz contigo
O meu melhor amigo é o meu amor

E a gente canta
E a gente dança
E a gente não se cansa

De ser criança
Da gente brincar
Da nossa velha infância.

(Saravá - Desterro, Rock in Rio)

Anónimo,  19/2/06 11:24  

Li e comentei:

O receio das consequências do vício, é o que as mais das vezes nos serve de virtude.
Uma questão de tamanha importância que nos passa muitas vezes ao largo...

S.P.

Anónimo,  19/2/06 14:47  

a e i ou...

Por acaso M.APTC
Afastar quem M.L;
Mas desculpa bem M.KB,
Pela forma Q. C.V.

Será mau, talvez Q.R
Quem taxar-M.D.KCT;
Tal nome não C. MRC
Cada um V.U. Q. L.


Engraçado. TV. XT.
Um caso raro C. DU.
Um atrevido KDT
Agarrou o U.ZEDU


Este PD. Q. C.KL,
Alegando Q. FL:
Mas tenta fugir, RAG
Defendendo assim A. PL.


Dá-lhe AQL D. KCT
Para por pontos nos II
Por fim lhe PD.Q.D.
P'lo menos uma de X.


(...)*

* incompleto

Armindo Fonseca

Anónimo,  19/2/06 16:50  

Antigamente o estudante sofria!
Até os termos e usos não são hoje felizmente conhecidos.Exp: palmatória, etc.
(Chda)


Nos meus tempos escolares.
De que tenho 'inda lembrança,
Havia entre os meus pares
Um chamado Chico Pança.


Chico Pança, coitadito,
P'ra estudar não ia nada;
Berrava como um cabrito,
Levando palmatoada.


Diz-lhe o mestre, um bom velhot',
De cara bem enrugada:
-«diga lá, seu manladrote,
A lição ontem marcada.»

Gaguejava o pobre rapaz
Que a não trazia estudada;
-«O sinal foi mais atrás.»
Disse com voz aflautada.


-«Foi, não foi ...E´s um pateta,
Um vadio, um mandrião;
Dize-me lá, esta letra
Que letra é ? Vá...Então?


«Também não sabes? E esta!
Dos números, vá: diz um»
Começa a bater na testa,
E pensa, e pensa...e nenhum.


E zangado o professor,
Já cançado de o aturar;
Diz-lhe em tom ameaçador:
-«A lição vai estudar».


Chico Pança, aborrecido,
Co'a repreensão que levou,
Dez dias andou 'scondido
E p'ra a cidade embarcou.


Orion Luzo (Pará)

José Aurélio Almeida 20/2/06 00:24  

Caros Anónimos, A. Flavis, EBI Biscoitos, N. C., Desterrado, J. N. V., Manuel Pessanha, JAP e Maresia:
Acerca de Quebramos os Dois, First Day Of My Life, Lembra-te de mim, Teus beiços, Fico Assim Sem Você, Acreditar, Ninguém bem, Ah!..., Oi!, Por mais que pense que não, Velha Infância.
Não sabemos se terá sido a época festiva dos namorados a provocar uma tão grande produção de poesia.
O certo é que versos não faltam.
Agradecemos imenso todos os comentários, de verdadeira inspiração poética.
Obrigado por, nestes dias, não se terem esquecido de nós.

José Aurélio Almeida 20/2/06 00:28  

Cara Azoriana:
Agradecemos a visita.
Quanto ao seu pedido informamos que vamos responder de imediato.

José Aurélio Almeida 20/2/06 00:46  

Caros Anónimos:
Acerca de definições e citações:
Agradecemos a definição exacta de beiço.
Realmente a sabedoria implica saber muito. No fundo implica ter consciência de... e isso tanto pode resultar em momentos maravilhosos como em tempos pavorosos.
Também acreditamos que sem coragem não poderemos ter bens nem amigos.
Não há dúvida de que ao perdermos o amor próprio perdemos a razão de respeitar todo e qualquer valor (acerca da citação de J. Bailey).
O anonimato não exige resposta mas, muitíssimas vezes, provoca-a.
Certamente que cada género terá forma diferentes de entender e viver o amor; contudo, no fundo, acreditamos que o sentimento será comum (e vêmo-lo como São Francisco o descreveu: como acto de doação; e eterno, como no sentido das palavras de V. Pyleva).
Por amores, desamores ou outros sentimentos, nada mais verdadeiro do que a citação sobre os estados de consciência acerca do acto de ferir.
Sobre o receio das consequências do vício ser uma virtude atrevemo-nos a comparar com o ditado popular que diz que o que arde cura. Muitas vezes, e ainda bem, por temor pelo ardor pugnamos para que não chegue a existir a ferida.

José Aurélio Almeida 20/2/06 00:49  

Caro Faustino:
Ora aí está um excelente desejo!
Agradecemos a positiva referência acerca deste Blog.

José Aurélio Almeida 20/2/06 00:53  

Caro Anónimo/Armindo Fonseca:
Que interessante e enigmático este incompleto poema.

José Aurélio Almeida 20/2/06 00:56  

Caro Anónimo/Orion Luzo:
O seu antigo colega
de graça Chico Pança
decerto da escola
não deve ter boa lembrança.

Biscoitos, Praia da Vitória, Ilha Terceira, Açores, Portugal

  © Blogger templates The Professional Template by Ourblogtemplates.com 2008

Back to TOP