sábado, 14 de outubro de 2006

Lira Açoriana

Segundo anunciou o Governo Regional dos Açores (GACS, 11/Outubro/2006) a orquestra regional “Lira Açoriana” esteve esta semana, na cidade da Praia da Vitória, a desenvolver o seu estágio correspondente ao ano de 2006, na continuidade da formação que tem vindo a ser desenvolvida desde 1988.
Os trabalhos decorreram no Auditório do Ramo Grande, culminando com um desfile realizado ontem à tarde, dia 13, em Angra do Heroísmo, no percurso Alto das Covas/Praça Velha.
A mesma fonte adianta que hoje, sábado, "realiza-se um grande concerto, no Auditório do Ramo Grande, pelas 21:30 horas, sob a direcção do maestro residente António Melo, procedendo-se, na ocasião, ao lançamento do primeiro CD da “Lira Açoriana”, numa gravação ao vivo, efectuada em 2005, no Teatro Micaelense."

Esta orquestra regional foi criada em 1998, sendo constituída por cerca de cem jovens músicos, em representação das muitas dezenas de bandas filarmónicas das diferentes ilhas da Região, numa iniciativa da Presidência do Governo Regional dos Açores, através da Direcção Regional da Cultura, visando, à partida, enriquecer a participação no programa cultural que a Direcção Regional da Cultura promoveu no “Dia dos Açores”, na Expo 98, em Lisboa.

Desde a sua criação vários foram biscoitenses que integraram esta "selecção açoriana de músicos". Actualmente o único biscoitense integrado na "Lira Açoriana" é o Paulo Dias de Almeida, que a integrou entre 2000 e 2003 e recentemente regressou a esta formação.
Ao serviço da “Lira Açoriana” este clarinetista biscoitense já efectuou estágios e concertos em todas as ilhas do Grupo Oriental e do Grupo Central, ora tocando clarinete ora clarinete baixo. Participou ainda na deslocação desta formação musical à Expo Am Meer, em Willermshaven, na Alemanha.

Entre outros, Bruno Monteiro (clarinete), Diamantino Lucas (trompete), Marisa (clarinete), Nélson Ourique (trompete) e Tânia Lopes (clarinete) são alguns dos biscoitenses que já fizeram parte da "Lira Açoriana".


Faz hoje um ano que publicamos:
Mais um investimento da Casa do Povo

4 comentários:

_monteiro_ 15/10/06 14:49  

eu fui a este concerto, assim um pouco quase por obrigação, visto k tinha "prometido" a um amigo k toca na banda e k veio da ilha do faial, lá estar, posso dizer desde já k foi um excelente concerto, eu que não sou um amante deste tipo de musica, fiquei bastante maravilhado com a qualidade dos musicos que temos nos açores, para além de maestros e de compositores, k de alguma forma trouxeram algo d enovo ao panorama musical açoriano, mostrando k realmente as bandas filarmonicas são uma grande escola musical. foi notório o trabalho realizado, durante uma semana, reparei k tudo ali foi fruto de trabalho arduo, desde os compositores, destacando o compositor/musico,Antero, o ultimo nome já não me lembro, foi interessante a maneira como ele interpretou um poema de Alamo de Oliveira, se não estou em erro, e o pasou para a pauta, atravez de interessantes efeitos sonoros k eu nunca imaginara poderem ser feitos dakela forma.o trabalho do maestro, com toda a banda, em trabalho conjunto, ker em trabalho de naipes e individual, ker até do trabalho dos musicos, k depois depois de um dia de ensaios, e de uma noite de divertimento (eu vi!!!), no outro dia estavam prontos a repetir a mesma jornada com a mesma vontade.
parabens á Banda Regional Lira Açoreana.

Anónimo,  27/10/06 19:17  

Lira Açoriana é também um livro :

Fernando Lopes graça

Lira Açoriana

ciclos de canções
com piano
sobre poemas de

ANTERO DE QUENTAL

VITORINO NEMÉSIO

IVO MACHADO
canções populares


Preâmbulo

Honra os Açores-honra as instâncias e aqueles que a decidiram e empreederam- a puplicação, pela Região, desta Lira açoriana de Fernando Lopes -Graça. O facto de se não tratar da obra de alguém natural do Arquipélago, longe de a cercear em razão e significado, reforça-lhos.
Açoriana, aliás- sem por isso deixar de ser nacional e,mesmo universal- podemos talvez dizer a lira que nestas páginas vibra.
Açoriana, ao menos, pelo mais evidente critério que à reunião deste trechos para canto e piano,originalmente dispersos na linha de um percurso criador, presidiu: pelos textos poéticos que lhes estão na origem e, pelo compositor escolhidos com motivação diversa, são todos de autores nascidos nas Ilhas.Antero de Quental, Vitorino Nemésio, Ivo Machado e de algum modo a voz mesma do povo açoriano no seu cancioneiro, não deixam de ao compositor ceder algo que com que a terra de origem se prende, que da fecundidade desta pode por isso reclamar-se.
(...)
Inicio do preâmbulo da autoria de J.M. Bettencourt da Câmara.Lisboa, Junho de 1990.

Edição da
Secretaria Regional da Educação e Cultura
Direcção Regional dos Assuntos Culturais
Angra do Heroísmo
Composição, impressão, acabamento
IMPRENSA NACIONAL-CASA DA MOEDA,E.P.
Lisboa

PRIMEIRA ANTERIANA
Antero de Quental
(...)
CANTIGAS DO TERREIRO
Vitorino Nemésio
(...)

SEGUNDA ANTERIANA
Antero de Quental
(...)

SETE BREVES CANÇÕES DO MAR DOS AÇORES
Ivo Machado

José Aurélio Almeida 9/4/07 01:49  

Caro Monteiro:
Nota 1: O compositor/músico chama-se Antero Ávilá; é um picoense radicado na Ilha Terceira.
Nota 2: Ainda bem que não deste por perdido o tempo empregue no cumprimento dessa "obrigação".
Nota 10: A Lira Açoriana merece nota 10 (daí o salto que demos na numeração).

José Aurélio Almeida 9/4/07 01:51  

Caro Anónimo - 27/10/06:
Muito se aprende nestas caixas de comentários.
E coisas boas, interessantes...
Obrigado.

Biscoitos, Praia da Vitória, Ilha Terceira, Açores, Portugal

  © Blogger templates The Professional Template by Ourblogtemplates.com 2008

Back to TOP