terça-feira, 3 de janeiro de 2006

2005 - algumas considerações

Antes de rodarmos completamente as nossas atenções para o recém-nascido ano de 2006, voltamo-nos ainda para 2005 com o intuito de apresentarmos uma brevíssima perspectiva sobre o que este ano representou para os Biscoitos. Assim, e em traços gerais, vamo-nos referir à freguesia (ainda que sob o filtro do presente Blog) e, se nos permitem, também ao próprio Blog.


BISCOITOS - A FREGUESIA
Apesar de as dinâmicas e acontecimentos relativos aos Biscoitos e biscoitenses serem muitos mais do que aqueles que apresentamos neste espaço, é em relação ao global do que publicamos que melhor podemos ponderar, na busca de propostas de marcos mais significativos em 2005.
Assim sendo, as Eleições Autárquicas de Outubro surgem como um dos factos incontornáveis, tendo delas resultado a manutenção do mesmo executivo na Junta de Freguesia, presidada por Carlos Cardoso. No que concerne a novos equipamentos destaca-se o Parque de Campismo, inaugurado em Julho.
No campo sócio-religioso assumem proeminência o assumir de funções de um novo Pároco (Padre Ricardo Toste) e a Sagração da Igreja do Imaculado Coração de Maria, recentemente acontecida.
Também de algum modo 2005 foi marcado pelo desastre na zona balnear, ocorrido no dia da tradicional Festa do Porto e pela onda de insegurança que grassou pela nossa e por outras freguesias terceirenses.
Pela nossa parte também centramos atenções na problemática do futuro dos Biscoitos, mormente da sua zona litoral, de vocação vitivinícola, principalmente através da publicação do artigo "Biscoitos: Que Futuro?" (I, II, III, IV e V).

BISCOITOS - O BLOG
Para o nosso Blog 2005, foi o ano de nascimento.
Naturalmente foi também um tempo de crescimento (em leque de assuntos abordados, em recursos técnicos utilizados e disponibilizados, em divulgação, em média mensal de artigos, de visitas e comentários recebidos).
Foram mais de sete meses que nos provaram o quanto nos agrada acarinhar a freguesia dos Biscoitos e em que a adesão de muitos biscoitenses (de naturalidade e/ou coração) a este projecto nos alegrou e impele à continuação do mesmo.
A todos quantos já contribuíram, de algum modo, para o Blog Biscoitos os nossos sinceros agradecimentos. Aos outros firmamos o convite para que o façam, partilhando esta construção, esta emoção.

6 comentários:

Genoveva,  4/1/06 00:34  

Passado, Presente e Futuro.

"Consideramos quase sempre o passado melhor do que foi; achamos o presente pior do que é; e esperamos um futuro ás vezes pior do que vem ser.
O passado vale as nossas saudades; o presente as nossas fadigas; valerá o futuro as nossas inquietações?"

As curraletas, as videiras, o vinho de Verdelho e de outras castas da lavra dos vinhateiros dos Biscoitos ainda estão connosco!
A luta continua ! Vamos a...isso!

Simião,  4/1/06 19:19  

Moral aferida pela conveniência:
(perpectivando o futuro)

" - Dizia um sabichão: " Não faças ao vosso amigo todo o bem que poderes, para que ele se não torne vosso inimigo: e não faças mal ao vosso inimigo, para que se não torne vosso amigo"

"Cada vinha dá o seu vinho", mas na Terceira a dos Biscoitos é a que dá melhor vinho! Concorda?Ou não?
Não é por acaso que boa parte das vinhas dos Biscoitos pertencem a famílias doutras freguesias.

Pena que os poucos alqueires de vinha e as curraletas abandonadas no litoral dos Biscoitos... "só produzirem 100 mil litros de vinho branco..." (!?)

Tito,  4/1/06 22:54  

"Vinho dos Biscoitos" e

"Belezas das curraletas"


O bom e o belo

Alguém um dia perguntou a Voltaire a diferença que havia entre o bom e o belo, respondeu:

"O bom carece de provas e o belo não precisa delas".

José Aurélio Almeida 5/1/06 17:52  

Caros Genoveva, Simião e Tito:
Fico satisfeito por manifestarem interesse por aquele que acabou por ser um dos principais temas deste blog em 2005 (seguramente com desenvolvimentos em 2006).
Realmente, nem a produção de bom vinho nem o belo contexto em que esta se faz podem desaparecer.
Não será em vão que a zona dos Biscoitos é a única parcela terceirense reconhecida oficialmente como área de produção de vinho de qualidade.
Obrigado.

S.Estelita,  5/1/06 20:42  

Um dos problemas da viticultura biscoitense é a desigualdade de condição, de concorrência por vezes desleal por parte do poder, de incentivos a rivalidades que destroe a franqueza, a confiança, a liberdade,que constituem o carácter de uma verdadeira união.
Lá diz o velho ditado popular:
"Amigo reconciliado, é inimigo dobrado".
É necessário sangue novo não "infectado" para que tenhamos Biscoitos de primeira qualidade!
Uma reconversão de mentalidades e só depois a da vinha!
E quanto à vinha e ao vinho, bom lá vem outro popular: "todos querem serem grandes, menos das orelhas".
Mas os euros embriagam mais que o vinho branco dos Biscoitos...

José Aurélio Almeida 7/1/06 18:54  

Cara/o S. Estelita:
Não há dúvida de que alguma reconversão será útil.
Penso que, a par dos euros e com igual capacidade de embriagar, o poder também é capaz de transtornar muito boa gente.

Biscoitos, Praia da Vitória, Ilha Terceira, Açores, Portugal

  © Blogger templates The Professional Template by Ourblogtemplates.com 2008

Back to TOP